sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Mulher Virtuosa: procurada pelo Rei Salomão





“Mulher virtuosa, quem a achará?” PV 31:10

 
 
 
          Essa mulher é descrita através de um poema no livro de Provérbios. Cada estrofe tem inicio com uma letra do alfabeto hebraico, ao todo 22 letras, as mesmas dadas por Deus a Israel por ocasião do Tora. No acróstico é  atribuída a mulher,  personalidade sublime, Divina, virtuosa.
          Virtuosa é uma tradução do “chavil” em hebraico (ou Havil) de acordo com o Wordbook Teológico, “chavil” no Antigo Testamento é usado para denotar: força, poder, em uma variedade de maneiras. Força de Deus (Sl 59:11) e força Física (Ec 10:10). Essa palavra foi usada pela primeira vez no Antigo Testamento para descrever Rute: “Agora, pois, minha filha, não temas; tudo quanto disseste te farei, pois toda a cidade de meu povo sabe que és mulher virtuosa”. A Septuaginta traduz o hebraico "Chavil" de Ruth 3:11, como "dunamis" que significa "poder".
          É interessante notar que essa mulher virtuosa, um misto de dona de casa, esposa, e serva de Deus, tem origem no relacionamento com seu par. Ela tem força própria, identidade marcante, porém não seria virtuosa sem o relacionar-se com Deus e com o seu marido. Boaz elegeu a Rute como parceira por ter percebido nela uma companheira que o completava: cheia de força para o trabalho, para a vida, e de conselhos - por ser tão ligada ao Deus de Israel.
           É gratificante saber que o conceito Bíblico de mulher virtuosa é oposto ao conceito do mundo. Se estivesse entre nós, Rute – a colhedora de espigas, nora de Noemi – certamente não figuraria na galeria de personalidades, mulheres do ano, ou coisa parecida. Tão pouco, seria contada entre as mais belas, como costumamos ver diariamente na mídia: O enfoque no exterior, na imagem sensual, superficial e cheia de apelos ao pecado. Sim, Rute deveria ser bela de aparência, mas o que a tornava virtuosa era o caráter, a maneira de agir, uma riqueza inestimável, “maior que o de todas as jóias preciosas” PV 31:10.  “Abre a boca com sabedoria e a lei da beneficência está na sua língua, olha pelo governo de sua casa e não come o pão da preguiça, levantam-se seus filhos a chamam de ‘bem-aventurada’ como também seu marido, que a louva dizendo: Muitas filhas agiram virtuosamente, mas tu a todas és superior” PV 31:25-39
          Rei Salomão foi um homem de muitas mulheres: “Setecentas mulheres princesas e trezentas concubinas” I Rs 11:3, penso que apesar da impressionante estatística, ele não encontrou uma “bem aventurada” para completar-lhe, no mesmo verso de I Reis lê-se: “Suas mulheres lhe perverteram o coração”. No livro de Eclesiastes, há uma confirmação da boca do próprio Salomão sobre esse enlace, nunca ocorrido, com uma mulher que lhe satisfizesse o ser:  “Vedes, aqui, isto achei, diz o pregador, conferindo uma coisa com a outra para achar a razão delas; A qual ainda busca a minha alma, porém ainda não achei; um homem entre mil achei eu, mas uma mulher entre todas estas não achei” Ec 7:27: 28 .Um homem dotado de sabedoria Divina como Salomão, realizado em seu governo, cheio de bens, mas de coração inquieto e incompleto a ponto de perder-se nas promessas de Deus para a vida dele. Uma mulher “bem aventurada” lhe faltou.
          Deus criou homem e mulher, um a completar o outro, esse mistério da criação é insubstituível! Quem o encontra e vive, retorna ao Paraíso, ao Éden, quando foram pronunciadas as palavras:  “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele” Gn 2:18
          Em Hebraico “ajudadora” significa auxiliar, socorrer ou ajudar; ajudante (5828 - Strong). Esta palavra vem de uma outra raiz (5826 - Strong) que significa cercar, rodear, envolver; proteger, defender; ajudar. "Ajudar" é o princípio básico para a mulher existir. É a primeira causa porque foi criada. É como se a força de Adão fosse incompleta em si mesma, o companheirismo através do relacionamento com Eva lhe daria o complemento necessário. Bem, mas não foi isso que aconteceu. Todos sabemos do triste fim: Eva deu ouvidos a serpente, Adão deu ouvidos a Eva e a consequência foi morte, corrupção do gênero humano.
          Retornando ao principio fundamental desse texto da “mulher virtuosa”, Eva, ao relacionar-se com a serpente, amando suas palavras, sendo encantada por ela, deixa de ser “virtuosa” porque uma das características da “mulher virtuosa” é o relacionar-se com Deus é ter a força de Deus em si. Eis um grande mistério, revelado para nós através das Escrituras sagradas. Em Deus consiste a vida e quando na união entre homem e mulher reina a obediência, o amor e a comunhão ao Evangelho cumprem-se a perfeição, a felicidade.
          Que nós mulheres, possamos ser essa “bem aventurada” dotada de força humana e Divina, de conselho e providência, cheias de amor. E aos homens que encontrarem esse tesouro, saibam valorizá-lo.

Google+ Followers

Postagens populares