sábado, 10 de agosto de 2013

Comportamento do Homem de Fé




Comportamento do Homem de Fé
 
 
           Uma vez que o crente recebe a justificação por meio de Jesus Cristo, deve andar “de modo digno da vocação a que fostes chamados”. Isso será demonstrado através de sua conduta, o seu viver diário.A Palavra de Deus nos fornece inúmeros modelos para aplicarmos em nossa vida. Devemos ser cidadãos dignos. A conduta do crente deve refletir a de uma pessoa transformada, que foi lapidada pelo poder do Espírito Santo. Somente por meio da Palavra de Deus é que iremos saber se o comportamento do crente é correto ou não. Baseados nisso, iremos verificar alguns princípios que, se forem seguidos, com toda certeza farão uma grande diferença na vida daquele que praticar, bem como na vida das pessoas que estão a sua volta. Há uma grande necessidade de mantermos uma conduta exemplar.
          Para tanto, é mister grande empenho para atingir tal objetivo. Somos exortados, pela Palavra de Deus, como deve ser a nossa conduta “para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo” (Fp 2.15).
 
I. O SERVIÇO CRISTÃO           Paulo instrui princípios sadios de como deve ser o comportamento do cristão em várias áreas. O crente deve manter um padrão exemplar de conduta, para que em tudo, Cristo venha a ser glorificado. Primeiramente, somos instruídos de que o “Eu” (aquilo que realmente eu sou) deve ser sacrificado. Sacrifício é algo que por natureza, nós não estamos acostumados a fazer. Custa muito sacrificar. Mas é necessário.
 
1. Em Relação a Deus           A conduta cristã está baseada em ter-se uma atitude certa para com Nosso Deus. A atitude com que fazemos, realizamos, recebemos as coisas demonstra como está o nosso nível para com Deus. O crente fora justificado, no entanto, deve procurar viver uma vida de santidade. A primeira cláusula de importância nessa etapa da conduta cristã é “Apresentar-se a Si mesmo a Deus”. Isso significa que por meio de nossas próprias forças não somos capazes de realizar algo ou alguma coisa (Rm 12.1,2; comparação 1Co 6.19,20). “Como por um ato de rendição nossa, alcançamos o poder da cruz, para uma vida separada, assim agora, por um ato semelhante, entramos numa vida de serviço. Isto feito segue-se a atitude de prontidão para qualquer serviço que Ele requeira de nós. Assim o ato torna uma atitude constante, de toda a vida, sempre se rendendo, desejando e esperando fazer a vontade dELe”.[1]
 
As implicações de se apresentar a Deus são várias, notemos: 1) é voluntária: Deus deseja que apresentemos nossos corpos, isso cabe a cada um de nós. Não é uma obrigação, mas isso implica necessariamente em viver de acordo com a Vontade de Deus. Se não se apresenta o corpo voluntariamente o resultado é derrota e falta de fruto.
2) é pessoal: cada um deve apresentar o seu próprio corpo, não o de seu amigo, não de sua amiga, namorada, esposa, pai ou mãe, mas, sim, o seu próprio corpo.
3) é sacrificial: sem sacrifício não há recompensas, sem um sacrifício vivo não existe conquistas e vitórias espirituais.
4) é racional: não é uma entrega insensata, mas uma entrega da razão, a pessoa sabe exatamente o que está fazendo. É um culto prestado pela mente e pelo coração. Com toda certeza o maior exemplo desta entrega total do corpo, sem reservas, fora a do Senhor Jesus Cristo, que quando estava nesta terra, fez exatamente aquilo que o Pai Se agradava, pois não procurou fazer a Sua vontade e, sim, a do Pai
.
 
2. Em Relação a Nós Mesmos          O crente não deve procurar estimar-se mais do que lhe é próprio. “Não pense de si mesmo, além do que convém” (Rm 12.3). É uma ordem! Caso uma pessoa pense de si mesma, além do lhe convém, com toda certeza, começará a causar problemas e atritos entre os irmãos e entre o corpo de Cristo, a Igreja. Pessoas assim se tornam orgulhosas, cheias de ambição e justiça própria, logo entrarão em desacordo com a liderança. Ao contrário, o crente que se submete ao poderio do Espírito Santo, sabe de suas forças e das suas limitações. Este procura sempre buscar o auxílio de Deus para exercer o seu dom e nunca o usará fora daquilo que lhe cabível ou concernente. “Nunca ficamos mais úteis por servirmos em trabalhos para os quais não somos idôneos”.[2]
 
3. Em Relação à Igreja            A Igreja é um organismo e não uma organização. Aqui verificamos que os crentes prestam seus serviços na Igreja de Deus por meio de seus dons espirituais. Uma analogia feito com o corpo humano, que tendo muitos membros, cada um diferente do outro, no entanto é um, cada membro opera em conjunto para o perfeito funcionamento do todo (1Co 12). Assim, deste modo, deve ser o Corpo de Cristo, muitos membros, muitas pessoas com diferentes qualidades, dons, personalidades, mas todas devem agir para um só benefício, para um só bem comum, que é o aperfeiçoamento dos santos e a glorificação de Nosso Deus. Nenhum membro desse corpo deve procurar o que lhe é do agrado, mas, sim, aquilo que beneficia aos outros. “A marca das obras das mãos de Deus é a diversidade, não a uniformidade. Assim é com a natureza; é assim também com a graça, e em nenhum lugar mais do que na comunidade cristã.          
           Nesta há muitos homens e mulheres das mais diversas espécies de origem, ambiente, temperamento e capacidade. E não só isso, mas, desde que se tornaram cristãos, são também dotados por Deus de uma grande variedade de dons espirituais. Entretanto, graças a essa diversidade e por meio dela, todos podem cooperar para o bem do todo”.[3] Cada crente em Cristo Jesus possui um ou vários dons espirituais. Estes dons foram concedidos com o propósito de edificarmos a cada um, para fazermos com que o corpo funcione. Assim, desta forma, com a união de cada um em torno de Cristo, corpo funciona. Paulo nos apresenta neste trecho (Rm 12.4-8) sete destes dons, indicando assim uma perfeição.
           É claro que o número de dons concedidos pelo Espírito não é somente sete, mas estes são os que o apóstolo considerou na Epístola:
1) dom de profecia, a ministração das verdades espirituais.
2) dom do ministério se refere ao serviço prestado ao Mestre.
3) dom de ensino, explicação da Palavra para o povo.
4) dom de exortação, encorajamento para se fazer o que é certo, chamar a atenção para faltas.
5) dom de contribuição deveria exercer com liberalidade, sem interesses próprios. 6) dom de presidir, aquele que governa, chefia ou guia o povo de Deus.
7) dom de misericórdia, cuidar dos necessitados, com o intuito de confortar.
 
II. EXORTAÇÕES PRÁTICAS           Paulo apresenta uma série de exortações para os crentes. Esse modo de viver deve marcar a conduta do crente. Este é exortado a praticar o amor para com todos sem discriminação, somente assim, será capaz de ter uma conduta adequada perante as pessoas (Rm 12.9). Temos então uma oportunidade de servir na sociedade que vemos a nossa frente. 
   
1. Conduta em Relação à Sociedade          O crente tem um dever de viver uma vida digna perante os demais. “Vivei, acima de tudo, por modo digno do Evangelho de Cristo” (Fp 1.27). O Amor deve ser o elemento que governa as nossas atitudes (Rm 12.9) para com o nosso próximo. “Se não tiver amor, nada serei” (1Co 13.2). Esse amor em nossos corações deve fazer com amemos uns aos outros com amor fraternal (Rm 12.10), não buscando honras para si mesmo, mas sim honrando aos demais (Fp 2.3-5). “A razão por que é o amor de tão alta importância reside no fato de que o amor é o cumprimento de toda lei e a lei é o próprio fundamento do Estado. Nenhum crente está isento da lealdade; ... quem ama ao próximo não fará coisa alguma em detrimento do próximo, ao contrário, para com ele cumprirá tudo que a lei exige”.[4] Sendo zelosos (Rm 12.11), ou diligentes, em seus serviços, quer sejam espirituais, quer sejam materiais. O crente será fervoroso se praticar isso em sua vida (At 18.25). Uma vida frutífera leva a uma vida de esperança, a esperança da Vinda de Cristo (Rm 12.12). Trará um cultivo a paciência, seja em tribulações, seja em qualquer outra área da vida, pois uma vida direta com o Senhor em comunhão com Cristo na oração fará crentes mais maduros. O cristão não vacila, ao invés de dar lugar à aflição, ele descarrega suas preocupações em Deus por meio da oração (Fp 4.6).          
          Compartilhar as necessidades (Rm 12.13) é muito mais do que simplesmente dar algo para nosso irmão, mas é, também, sentirmos o que ele sente, é sentirmos as suas necessidades (At 4.32). Devemos também demonstrar hospitalidade para com todos, indiscriminadamente de quem quer que seja. Uma exortação difícil de ser feita é a de abençoar os perseguidores (Rm 12.14). Não é qualquer que pode fazer isso, e não somente abençoar, mas também não amaldiçoar (Mt 5.44,45; Lc 6.28). Alegria deve andar com o crente (Rm 12.15). Ele se alegra com seus irmãos em Cristo, mas também chora com eles, participa com eles de seus sofrimentos.
          Deve-se ter o mesmo sentimento (Rm 12.16; comp. Fp 2.2-8), ou seja, ninguém é superior a ninguém, deve-se procurar viver em harmonia com todos, não ser orgulhoso, mas sim humilde, um contraste notável. Sabedoria deve ser aplicada a cada situação e não se engrandecer ou achar que pode alguma coisa por si mesmo, não ser sábio aos próprios olhos. Não praticar mal por mal (Rm 12.17; comp. Mt 5.44; 1Pe 3.9), é seguir o exemplo de Cristo que não revidava com ultraje e nem injuriava a ninguém (1Pe 2.21-23). O crente deve ter uma vida exemplar, quer em costumes, vestimentas, negócios, palavras, por estar sendo observado por outros. As pessoas do mundo podem não ler a Bíblia, mas certamente lerão a vida do crente, que deve ser uma carta viva a testemunhar de seu Criador. Em relação ao convívio do crente com aqueles que lhe são inimigos (Rm 12.18-20), o crente deve procurar viver em paz, se possível com todos. Caso não seja possível, não deve se vingar de ultrajes sofridos, mas sim, depender de Deus (Dt 32.35; Pv 25.21-22; Hb 10.30). Pelo amor, o crente vence o mal com o bem, ele não se deixa influenciar pelas artimanhas. O filho de Deus deve mostrar sempre o seu amor e a sua graça para com todos.
 
2. Conduta em Relação às Autoridades           Para com as autoridades civis, o dever do cristão é obedecer. O crente não está isenta para com as suas responsabilidades perante o seu País. Somos exortados pelas Escrituras a nos submetermos as autoridades legalmente constituídas, pois a pessoa que resiste a tais autoridades está resistindo a Deus (Rm 13.1-2). “Os crentes cheios do Espírito, descritos em Romanos 13, vivem pela lei do amor e da fé. Portanto, o que vão dizer e fazer muitas vezes será superior à sociedade que os rodeia. Mas muitas vezes serão incompreendidos pela sociedade. Quando a humanidade é corrupta e os governos são injustos e egoísticos, a cristandade pode ser perseguida. É aqui que se concretiza a cruz diária do crente. A única solução para este problema é a eterna dívida de amor do homem para com Deus e o próximo”.[5] O cristão tem por consciência ser submisso a autoridade constituída (Rm 13.5).
            O governo humano é fundamental para a convivência do homem na sociedade e é perfeitamente aprovado por Deus. O cristão tem como obrigação garantir o cumprindo das leis. O cristão deve se submeter às autoridades, não somente por encargo de consciência, mas também devido ao castigo que é imposto àqueles que são infratores das leis estabelecidas pelo governo. É óbvio que não se torna um bom testemunho para o cristão que é achado em falta ou em estado de insubmissão para com o governo, pois primeiramente não está sendo insubmisso para com o governo, e sim, para com Deus, que foi Quem o constituiu (Rm 12.1; 13.1,2; Dn 4.25-35; 5.21; Tt 3.1).
Nem toda autoridade é cristã. Há e certamente haverá muitos que são ímpios, tiramos, estes responderão pessoalmente a Deus (Ap 20.12). Agora, está também claro na Palavra de Deus que se a autoridade civil, legalmente constituída, for contra o que a Bíblia ensina, o cristão deve antes, obedecer a Deus do que aos homens (At 5.29).
“Podemos ver, então, que a submissão do crente às autoridades manifesta-se de quatro maneiras:
a) a obediência às leis do país (ou do município).
b) o civismo: ‘fazendo bem’ como cidadãos, respeitando os direitos dos outros, não sendo desordeiros nem estragando os jardins, os parques e as outras propriedades públicas (Rm 13.3).
c) o pagamento de impostos e taxas legais; a pessoa que rouba o governo está roubando o ‘ministro de Deus’ (Rm 13.4-7).
d) a honra (ou respeito) para com os oficiais do governo, conforme a sua posição (Rm 13.7)”.[6] Para que uma pessoa tenha uma vida bem sucedida nos dias de hoje, é fator importante verificar qual é a sua capacidade em verificar a mão de Deus nas atitudes, nas ações, bem como nas reações daqueles que estão investidos de autoridade sobre a nossa vida.
 
          Verdades absolutas a reconhecer em autoridade:
1) a autoridade dos pais exerce o mais forte impacto na vida de uma pessoa, quer seja positiva, quer seja negativa. A atitude do filho para com a autoridade dos pais no presente, ou quando este os deixa, influenciará fortemente o seu futuro (Pv 6.20-23).
2) é nosso dever reconhecer na autoridade a mão de Deus, quando esta está de acordo com os padrões do Mestre. Rebelar-se contra as autoridades que Deus colocou na vida trará frustrações intensas. A pessoa, portanto, tem que saber receber ordens, para então, depois poder vir a guiar e dar orientação também (Pv 30.17).
3) muitos pensam que a liberdade está em escapar da autoridade quando antes melhor. Porém, aprendemos de Deus que o segredo está em se estabelecer um relacionamento correto e procurar reagir positivamente para com a autoridade que Ele colocou sobre a nossa vida. Um princípio claro, portanto é: Resistir a autoridade é resistir a Deus. “O grande erro consiste em que o indivíduo não aceitar a verdade de que o próprio Deus está por trás da autoridade”.[7]
4) a autoridade dos pais advém de Deus. Ele é responsável pelos pais que lhe concedeu, e Deus é maior que seus pais (Pv 21.1). A autoridade dos pais é para obediência dos filhos, para que este venha a ter maturidade por meio dela (Cl 3.20). Quando os pais verificam que seu filho se submete à sua autoridade, sendo-lhes obediente, eles passam a verificar que já podem ter confiança em seu filho para deixar que este venha a tomar as suas próprias decisões. Por causa da maturidade que muitos jovens aceitam a autoridade de seus pais, como colocada por Deus, estes conquistam sua liberdade muito antes de casarem.
5) em todos os nossos relacionamentos existe a figura da autoridade, esta é claramente enfatizada pelas Escrituras Sagradas: Deus exerce autoridade sobre o homem (1Co 11.3); o homem sobre a mulher (1Co 11.3; 1Pe 3.1-5); os pais exercem sua autoridade sobre os filhos (Ex 20.12; Ef 6.1-3); Deus exerce autoridade sobre os senhores empregadores (Ef 6.9); os servos devem obedecer a autoridade de seus patrões (Ef 6.5); os cidadãos devem obedecer a autoridade do Governo (Rm 13.1-7; Mt 22.21; 1Pe 2.13-18).
 
3. Conduta em Relação aos Cidadãos
Como cidadãos, os cristãos também têm deveres em sua conduta para com todos aqueles com quem tem contato em sua vida diária. Ele deve, portanto, cumprir bem o seu papel de cidadão. A única dívida que o cristão pode ter é o amor para com todos (Rm 13.8). Muitas vezes, o emprestar dinheiro traz profundas mágoas, pode estragar amizades, arruinar a vida de uma pessoa. Deve-se tomar cuidado com essa prática. O amor do cristão para com seus semelhantes deve ser o mesmo, sem favoritismo ou exclusividade. “Se é verdade que esse amor cristão deve caracterizar nossa atitude para com os demais crentes, não menos o é o fato de que temos de mostrar essa mesma disposição para com todos os homens”.[8] A Parábola do Bom Samaritano é uma ilustração belíssima do exemplo de amor para com o nosso próximo (Lc 10.30-37).
A lei está resumida no amor para com Deus: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento” e no amor para com o próximo: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22.37; Lc 10.27; Rm 13.9; Lv 19.18). Obviamente que quem ama a Deus amará a seu próximo (1Jo 2.10,11; 4.11,12). Além do amor, um outro motivo para sermos bons cidadãos é que a Vinda do Senhor está próxima (Rm 13.11; Lc 21.28). Com isso, a grande esperança do cristão está cada vez mais próxima, isto traz responsabilidade por parte do cristão, de viver uma vida digna e de acordo com os padrões divinos. Na sua vinda, seremos então tirados da atual conjuntura do pecado e das condições atuais, bem como do derramamento da ira vindoura (Rm 8.23,24; 1Ts 1.10; 4.13-17; 5.9). Por isso não devemos estar andando nas obras das trevas e sim, “revestindo-nos das armas da luz”. Quando Ele voltar, como nos achará? Andando nas trevas do pecado, ou como bons cidadãos dos céus, amando a Deus e ao nosso próximo?
   
4. Conduta em Relação aos Fracos na Fé
           Em se tratando da matéria moral, as suas dúvidas, o apóstolo Paulo estabelece três grandes princípios de grande valia:
1) não devemos julgar os outros (14.1-12);
2) não devemos tentar uns aos outros (14.13-23);
3) seguir o amor de condescendência e amor de Cristo (15.1-13). No capítulo 14 de Romanos, Paulo trata de questões duvidosas. Fala das responsabilidades do forte para com o irmão fraco, bem como do irmão fraco, para com o irmão forte. No entanto, deixa claro que cada um comparecerá perante Deus (v.12). “No idólatra Império Romano, faziam-se sacrifícios de animais aos deuses pagãos. Depois, a carne era vendida nos mercados e açougues (1Co 10.25). Sendo essa carne associada à idéia de culto pagão, alguns dos novos convertidos não conseguiam comê-la, sem sentirem profunda perturbação interior. Outros, porém, já criam que todas as coisas pertencem a Deus, e, assim sendo, comiam-na sem nenhum problema. Afinal, ‘ao Senhor pertence toda a terra’.[9] Aqui, o irmão “débil na fé” estava escandalizado pela liberdade que o mais forte tinha. O problema é a falta de sabedoria quanto a liberdade que temos em Cristo.
            Essas pessoas não tinham convicção na aplicação de sua liberdade em Cristo. Nos dias de hoje seria o fato de alguém que se converteu do catolicismo para o cristianismo e não sabe com certeza se pode ou não comer carne da “sexta-feira santa”, pelo simples fato de ainda não entender muito bem a sua liberdade em Cristo. “O erro do irmão fraco consiste em julgar e condenar aos irmãos ‘fortes’, isto é, os que reconhecem que são livres dessas proibições ritualísticas acerca de dias e comidas; e os fortes podem errar também, em desprezarem a seus irmãos fracos, ofendendo-os desnecessariamente na ostentação da liberdade”.[10]
           O apóstolo Paulo faz uma alusão muito importante aqui, um princípio que deve ser seguido, o princípio do amor, ele fala que amar ao próximo é muito mais importante do que a nossa liberdade nestas coisas. “Também, é mais importante ser ‘conhecido’ por Deus do que ‘conhecer’ o que se refere a ídolos! Se não estamos interessados na maneira como nossa ‘sabedoria’ afeta a nosso irmão, então nosso conhecimento nos encheu de soberba. Se não nos preocupamos com os sentimentos de nosso irmão, provamos que, em vez de sermos sábios, realmente nada sabemos”.[11] Cabe aqui notar que os crentes de romanos eram oriundos do paganismo, estavam envoltos com uma cultura pagã. Por isso, tinham suas dificuldades em relação a estes assuntos controvertidos. Paulo fala da comida e da observância religiosa de certos dias. Para Paulo, e também outros irmãos, o comer qualquer alimento não havia problema algum, ao passo que para outros, os irmãos mais fracos na fé, isso era escândalo.
          Da mesma sorte, com relação aos dias, alguns consideravam que cada dia era igual ao outro, não faziam distinção entre os dias que eram mais ou menos sagrados, consideravam cada dia como sendo “santo ao Senhor”, ainda outros achavam que certos dias eram mais santos do que outros. O que é que deve ser feito, visto que na mesma comunidade havia cristãos com tão diferente pontos de vista? Cada qual deveria resolver em sua mente e em sua consciência. “Aquele que desfruta maior liberdade não deve menosprezar o outro julgando-o espiritualmente imaturo.
           Quem tem escrúpulos de consciência não deve criticar o seu irmão na fé por praticar o que aquele não pratica”.[12] Paulo “nos fornece o verdadeiro meio de decidir todas aquelas questões casuais que tão frequentemente aparecem na vida cristã, e que levam tantos crentes a ficarem embaraçados. Posso admitir a mim mesmo esta ou aquela diversão? Sim, caso possa desfrutá-la para o Senhor, ao mesmo tempo que possa agradecer-Lhe pela mesma. Não, se não puder recebê-la como presente de Suas mãos e bendizê-lo por causa da mesma. Essa maneira de solucionar tais problemas respeita tanto os direitos do Senhor como a liberdade do indivíduo”.[13]
 
III. PRINCÍPIOS ACERCA DE QUESTÕES DUVIDOSAS

1. Decisões Acertadas: A Palavra de Deus é rica para com todas as questões, verificaremos, a seguir alguns princípios que cabem em situações duvidosas. Quando Deus dá um mandamento específico, torna-se fácil saber o que Ele quer de nós. Mas há muitos aspectos em que não existem mandamentos específicos. Deixar de agir coerentemente nesses assuntos duvidosos pode facilmente minar a dedicação da pessoa a Deus. As seguintes indagações podem ser usadas como teste ao fazer decisões difíceis:
1.1 Entrega Total: Como primeiro e principal requisito deve-se perguntar a si mesmo: “Entreguei todos os aspectos da minha vida a Deus?” Para seguir nosso caminho diante de Deus, torna-se como fator essencial uma entrega total de nossa vida, de todos os aspectos, de todo o ser a Deus. “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. RECONHECE-O EM TODOS OS TEUS CAMINHOS, e Ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio a teus próprios olhos: teme ao Senhor e aparta-te do mal” (Provérbios 3.5-7 ).
1.2 Sacrificar Meus Desejos: Será que eu estou pronto a sacrificar meus desejos em favor da vontade de Deus? Uma das condições básicas do discipulado é o sacrifício. Quando se tem uma escolha entre duas oportunidades é essencial verificar estes princípios já citados. Qual deve ser a escolha certa? Escolher entre uma atividade que irá oferecer oportunidade para a pessoa servir a Deus ou entre uma atividade pelo qual não lhe será permitido fazê-lo? “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará” (Lucas 9.23,24).
2.1 Será Deus Louvado?
TUDO QUE EU FIZER DEVE GLORIFICAR A DEUS: Glória significa “uma opinião, uma estimativa”. Podemos colocar como sendo uma opinião ou uma estimativa que as pessoas têm acerca de Deus, por causa da nossa atitude, da nossa vida exemplar ou não. Se formos servos fiéis a Deus, isso resultará na glorificação do nome de Nosso Grandioso Deus. “Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra cousa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (I Coríntios 10.31).
2.2 Posso Agradecer a Deus por esta Atividade?
O PRÓPRIO JESUS APROVARIA MINHA DECISÃO? Quando faço algo devo verificar se isto agradaria ou não ao nosso Mestre. “E tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Colossenses 3.17). 2.3 Será que Pode me Advir Algum Resultado Espiritual desta Atividade? ELA DEVE MELHORAR MEU CARÁTER CRISTÃO? Posso crescer espiritualmente com esta atividade ou ela resultará em perdas para a minha pessoa, deve ser o nosso pensamento. “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém (é proveitoso, vantajoso). Sim, tudo me é permitido, mas nem tudo é edificante. (Contribui para o caráter espiritual e o crescimento)” (I Coríntios 10.23) 2.4 Eu Ficaria Aborrecido se não o Fizesse? “Tudo me é permitido, o que não significa que tudo seja bom. Tudo me é permitido, mas não devo ser escravo, seja do que for” (I Co 6.12). 2.5 Levarei um Crente mais Fraco a Pecar?

           SOU RESPONSÁVEL A DEUS POR CRENTES MAIS FRACOS O apóstolo Paulo declara que se o simples fato de eu vir a comer uma carne que o novo convertido em Cristo costumava oferecer aos ídolos, antes da sua conversão, irá levá-lo a se escandalizar com minha atitude, então eu devo abrir mão desse privilégio de comer aquele carne. A vida espiritual de meu irmão deve ser muito mais importante do que qualquer comida ou atividade que eu venha a desempenhar para o meu próprio benefício. Algo que deve ficar em nossa mente é que quando eu, por meus modos, ou por minhas atitudes, ou palavras, enfraqueço o meu irmão mais novo na fé, estou pecando contra Deus, por não estar edificando a este irmão. “Mas vede que essa liberdade não seja DALGUMA maneira escândalo para os fracos... pecando assim contra os irmãos, e ferindo a sua fraca consciência, pecais contra Cristo. PELO QUE, SE O MANJAR ESCANDALIZAR a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize” (I Coríntios 8.9-13) 2.6 Estou em Dúvida? Não Devo Fazê-lo!
          PRECISO TER A CONVICÇÃO DO ESPÍRITO SANTO NAQUILO QUE ESTOU FAZENDO É claro que o que não provém da fé é pecado, relacionado a isso está a dúvida, se ela existe não faça. “As vossas convicções pessoais são assunto de fé, entre vós e Deus, e podeis dar-vos por felizes se não tiverdes escrúpulos acerca daquilo que vos é permitido comer. Se não se come carne com a consciência tranqüila, não é bom sinal, porque tal procedimento não provém da fé, e o que é feito à parte da fé é pecado” (Rm 14.22,23). 2.7 Terei eu a Aprovação Final de Deus?
          PRECISO DAR CONTAS A DEUS DE TODAS AS MINHAS AÇÕES Cada ato que pratico, um dia prestarei contas a Deus por eles, por isso, devo procurar fazer o máximo possível para agradar a Ele. “Pela minha vida, diz o Senhor; que todo joelho se dobrará diante de mim, e toda língua confessará a Deus. De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” (Romanos 14.11,12). Podemos sempre provar que estamos certos, mas estará o senhor convencido? (Pv 16.2). 2.8 O que os Outros Pensam é Importante?
          MEU COMPORTAMENTO DEVE EVITAR TODA A APARÊNCIA DO MAL “Abstende-vos de toda aparência do mal” (I Tessalonicenses 5.22). Raramente pensamos no que os demais pensam a respeito de tal coisa ou assunto, mais isso deve ser relevante da mesma forma. “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo; porquanto os dias são maus” (Efésios 5.15,16).
 
                                                CONCLUSÃO
 
          A maneira de se comportar, a conduta do crente, é um fator de muita importância. Ela pode ou edificar ao irmão que nos rodeia ou até mesmo enfraquecê-lo. Portanto, torna-se necessário vigiarmos nossas atitudes para que possamos viver de vidas dignas. A conduta ideal é aquela que está permeada pelos princípios bíblicos. Uma vida que honra a Cristo e onde o Seu amor é derramado em nosso coração. O princípio do amor deve andar lado a lado conosco, para que com isso possamos edificar a nosso irmão. A conduta certa, o modo de viver certo, o comportamento correto, tudo isso depende única e exclusivamente de uma submissão de nosso próprio ser ao senhorio de Jesus Cristo. Só assim, seremos capazes de praticar os princípios contidos em Sua Palavra.
 

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Mulher Virtuosa: procurada pelo Rei Salomão





“Mulher virtuosa, quem a achará?” PV 31:10

 
 
 
          Essa mulher é descrita através de um poema no livro de Provérbios. Cada estrofe tem inicio com uma letra do alfabeto hebraico, ao todo 22 letras, as mesmas dadas por Deus a Israel por ocasião do Tora. No acróstico é  atribuída a mulher,  personalidade sublime, Divina, virtuosa.
          Virtuosa é uma tradução do “chavil” em hebraico (ou Havil) de acordo com o Wordbook Teológico, “chavil” no Antigo Testamento é usado para denotar: força, poder, em uma variedade de maneiras. Força de Deus (Sl 59:11) e força Física (Ec 10:10). Essa palavra foi usada pela primeira vez no Antigo Testamento para descrever Rute: “Agora, pois, minha filha, não temas; tudo quanto disseste te farei, pois toda a cidade de meu povo sabe que és mulher virtuosa”. A Septuaginta traduz o hebraico "Chavil" de Ruth 3:11, como "dunamis" que significa "poder".
          É interessante notar que essa mulher virtuosa, um misto de dona de casa, esposa, e serva de Deus, tem origem no relacionamento com seu par. Ela tem força própria, identidade marcante, porém não seria virtuosa sem o relacionar-se com Deus e com o seu marido. Boaz elegeu a Rute como parceira por ter percebido nela uma companheira que o completava: cheia de força para o trabalho, para a vida, e de conselhos - por ser tão ligada ao Deus de Israel.
           É gratificante saber que o conceito Bíblico de mulher virtuosa é oposto ao conceito do mundo. Se estivesse entre nós, Rute – a colhedora de espigas, nora de Noemi – certamente não figuraria na galeria de personalidades, mulheres do ano, ou coisa parecida. Tão pouco, seria contada entre as mais belas, como costumamos ver diariamente na mídia: O enfoque no exterior, na imagem sensual, superficial e cheia de apelos ao pecado. Sim, Rute deveria ser bela de aparência, mas o que a tornava virtuosa era o caráter, a maneira de agir, uma riqueza inestimável, “maior que o de todas as jóias preciosas” PV 31:10.  “Abre a boca com sabedoria e a lei da beneficência está na sua língua, olha pelo governo de sua casa e não come o pão da preguiça, levantam-se seus filhos a chamam de ‘bem-aventurada’ como também seu marido, que a louva dizendo: Muitas filhas agiram virtuosamente, mas tu a todas és superior” PV 31:25-39
          Rei Salomão foi um homem de muitas mulheres: “Setecentas mulheres princesas e trezentas concubinas” I Rs 11:3, penso que apesar da impressionante estatística, ele não encontrou uma “bem aventurada” para completar-lhe, no mesmo verso de I Reis lê-se: “Suas mulheres lhe perverteram o coração”. No livro de Eclesiastes, há uma confirmação da boca do próprio Salomão sobre esse enlace, nunca ocorrido, com uma mulher que lhe satisfizesse o ser:  “Vedes, aqui, isto achei, diz o pregador, conferindo uma coisa com a outra para achar a razão delas; A qual ainda busca a minha alma, porém ainda não achei; um homem entre mil achei eu, mas uma mulher entre todas estas não achei” Ec 7:27: 28 .Um homem dotado de sabedoria Divina como Salomão, realizado em seu governo, cheio de bens, mas de coração inquieto e incompleto a ponto de perder-se nas promessas de Deus para a vida dele. Uma mulher “bem aventurada” lhe faltou.
          Deus criou homem e mulher, um a completar o outro, esse mistério da criação é insubstituível! Quem o encontra e vive, retorna ao Paraíso, ao Éden, quando foram pronunciadas as palavras:  “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele” Gn 2:18
          Em Hebraico “ajudadora” significa auxiliar, socorrer ou ajudar; ajudante (5828 - Strong). Esta palavra vem de uma outra raiz (5826 - Strong) que significa cercar, rodear, envolver; proteger, defender; ajudar. "Ajudar" é o princípio básico para a mulher existir. É a primeira causa porque foi criada. É como se a força de Adão fosse incompleta em si mesma, o companheirismo através do relacionamento com Eva lhe daria o complemento necessário. Bem, mas não foi isso que aconteceu. Todos sabemos do triste fim: Eva deu ouvidos a serpente, Adão deu ouvidos a Eva e a consequência foi morte, corrupção do gênero humano.
          Retornando ao principio fundamental desse texto da “mulher virtuosa”, Eva, ao relacionar-se com a serpente, amando suas palavras, sendo encantada por ela, deixa de ser “virtuosa” porque uma das características da “mulher virtuosa” é o relacionar-se com Deus é ter a força de Deus em si. Eis um grande mistério, revelado para nós através das Escrituras sagradas. Em Deus consiste a vida e quando na união entre homem e mulher reina a obediência, o amor e a comunhão ao Evangelho cumprem-se a perfeição, a felicidade.
          Que nós mulheres, possamos ser essa “bem aventurada” dotada de força humana e Divina, de conselho e providência, cheias de amor. E aos homens que encontrarem esse tesouro, saibam valorizá-lo.

Mulher Sábia segundo as Escrituras Sagradas

Mulher Sábia segundo as Escrituras Sagradas













             Grandes estudiosos relatam que a Bíblia Sagrada é considerada como uma bússola para o cristão. Sempre que estamos em dúvida a que atitude devemos tomar em alguma decisão, ao consultarmos as Sagradas Escrituras, com certeza encontraremos as respostas. Se a lermos diariamente e colocarmos em pratica o que ela nos revela, obviamente seremos bem sucedidos em tudo o que fizermos.
            Lendo as Escrituras o Espírito Santo de Deus me fez observar como era a procedência de algumas mulheres e que pelas suas atitudes tiveram destaque na Bíblia Sagrada. Mulheres que venceram o inimigo através da autoridade dada por Deus, conquistada através da sabedoria divina, da vigilância e oração, do silêncio no tempo oportuno, da obediência para com seu marido, seu pastor ou com seu superior. Neste assunto que irei abordar quero colocar como referência uma mulher que chamou muita a minha atenção: a mulher de Noé . Esta mulher abençoou o ministério de seu esposo através de sua obediência e dedicação à sua família; nos ensinando que a nossa responsabilidade é estar orando continuamente pelo ministério de nossos esposos, e andar lado a lado com eles, nunca esquecendo que Deus fez o homem, e viu que ele estava só, e então nos formou através de sua costela e se crermos que a Bíblia nos relata isto, acreditaremos então que espiritualmente somos uma só carne, sendo assim feitas para estar lado a lado com nossos esposos. Quando digo lado a lado, não é literal, e sim estarmos sempre presentes em todo momento real em que nos é confiado, transparecendo sempre a todos alegria e não tristeza, mansidão, domínio próprio, amor, lealdade, benignidade ...
  
            Fazendo uma analogia entre a mulher de Noé e a mulher de "hoje", podemos observar que muitas, (não generalizando) que são esposas de homens que estão na liderança de algum trabalho (pastores, obreiros, políticos, profissionais afins e etcs) não se preocupam em assumir seu papel de esposa dedicada; e quando são chamadas a assumirem seu lugar ao lado do esposo colocam sempre como empecilho seus afazeres de casa, filhos, cansaço; ou então: falta de roupa, pois já usou ?aquela? outro dia. Outras já são diretas: -Não vou hoje com você, leve as crianças para te fazerem companhia! Outras, no entanto querem tomar a frente daquilo no qual Deus confiou ao seu esposo, e se ele resolver tomar alguma atitude sem consultá-la primeiro, será este um motivo para uma guerra conjugal. Com o passar do tempo, se o esposo não tiver pulso firme certamente esta mulher dominará sobre ele, cumprindo-se assim o que o profeta Isaias relata: - "Os opressores do meu povo são crianças, e mulheres estão à testa do seu governo".
  
          Imagine se Deus tivesse colocado a esposa de Noé na direção da construção da arca? Como mulher posso afirmar que ela não iria deixar ninguém para fora da arca, mesmo sabendo que só entrariam ela, seu marido, filhos e noras e um casal de cada animal, réptil e ave. O apostolo Paulo escreve que a mulher é considerada como vaso mais frágil; somos sensíveis, por outro lado somos consideradas fortes, pois além de gerarmos outra vida, ainda a carregamos durante nove meses e por fim, sentimos a dor para termos, e quando o olhamos, toda aquela dor e sofrimento dão lugar para o amor e alegria com aquele desejo de cuidar e proteger. Creio que este foi um dos motivos pelo qual Deus designou a tarefa da arca a Noé, neste caso Deus queria poupar somente a Noé e sua Família do dilúvio, pois o ser humano havia se corrompido, mas Deus viu em Noé integridade e honestidade, e por que não dizer um bom marido também, pois a própria Bíblia nos revela na carta em que o apóstolo Paulo escreve á Timoteo onde "o homem que não consegue cuidar de sua casa, conseqüentemente não tem condições de cuidar das coisas de Deus". Em suma; não estou afirmando que a mulher não possa estar na frente de alguma liderança, mesmo porque a própria Bíblia nos relata mulheres que Deus determinou que estivessem na liderança e honraram o seu papel, de modo que todo o povo também teve a vitória, como foi o caso de Ester; mulher que usou de prudência ao dirigir-se ao rei Assuero sabendo usar as palavras no momento oportuno. Podemos também ler sobre Débora que foi profetisa e juíza de Israel. Porém estas mulheres andavam segundo a vontade de Deus, sabiam até onde iam seus limites; todavia se saíssem fora dos planos de Deus, certamente não teriam êxito.
          Existe um ditado popular que diz "Ao lado de um grande homem existe uma grande mulher". Todavia podemos ver homens que tinham todo um potencial para serem bem sucedidos tanto na vida secular como na espiritual. Varões escolhidos por Deus para assumirem um ministério, mas com o passar do tempo alguns pararam no caminho, outros voltaram para trás e poucos conseguiram levar adiante o que Deus havia colocado em suas mãos, sendo que muitas das vezes porque a esposa não quis assumir a responsabilidade que Deus a confiou, e ao invés de estar presente nas ocasiões que lhe são impostas preferem ficar assistindo "aquele capítulo especial da novela", acabando a delegar sua autoridade a seus filhos ou até a uma irmã, uma amiga ou conhecida em quem confia, e diz: -Leva fulana querido, é a pessoa certa para fazer esta visita contigo, ela é honesta, educada e bem espiritual; nossa filha vai junto também, assim ninguém vai ter o que falar! Sendo que o nosso amado apostolo Paulo escreve aos Efésios:

"Vós mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor: Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja; sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos". Efésios 5.22-24

           Querida leitora, se o teu esposo convidou-a para fazer uma visita com ele, não hesite e vá, pois sabemos que satanás fica procurando brechas para destruir lares. Conheço homens, que quando iam a uma visita, e chamavam suas esposas elas sempre davam desculpas, e sempre indicavam outras mulheres em que elas confiavam, no entanto, devido a tantas visitas que acabaram fazendo juntos, começaram a achar que havia muita compatibilidade entre os dois, e no final aconteceu o que o diabo havia planejado; adultério. E o interessante é que quando chega a este ponto muitas esposas culpam seus maridos chamando-os de sem-vergonha, traidor, colocando inclusive os filhos, parentes e amigos e até a igreja contra seu marido, más como a Deus ninguém engana e sabemos que cada um dará conta pelos seus atos, certamente tanto o esposo pela traição quanto a esposa que não traiu, más que contribuiu para que houvesse acontecido o ocorrido, terão que prestar contas ao Senhor. Todavia se a esposa estivesse sempre que necessário fazendo seu papel de auxiliadora, ajudadora, obviamente nada disso teria ocorrido. Sendo assim podemos analisar que muitas lutas que nos batem a porta são porque nós mesmos a procuramos; e o interessante é que depois culpamos a Deus, a Igreja, a família, e até o trabalho que é estressante demais, porém nunca admitimos que nós é que temos que nos concertar, que mudar de atitude, de maneira de viver. Se formos obedientes a Deus, como manda a Bíblia, com certeza nosso casamento será abençoado, e o que Deus confiou ao nosso cônjuge certamente frutificará, e o nome do Senhor Jesus será enaltecido.
          No entanto a mulher que não anda segundo a palavra de Deus, ela abre uma brecha em seu casamento, permitindo que satanás entre e faça morada, sendo que, o serviço do mesmo é:

Matar; quando não há mais sintonia num relacionamento, e os papéis acabam sendo trocados (esposo fazendo o papel da esposa e vice-versa) e o respeito acaba, abrindo-se uma brecha no relacionamento, onde satanás entra e começa a fazer com que o relacionamento vá esfriando, e por fim morrendo.
Roubar; apartir do momento em que outorgamos autoridade a satanás sobre nossas vidas por falta de vigilância, além de esfriar o relacionamento, ele começa a prover ocasiões para nós, onde ficamos sem tempo para cultuar a Deus e a satisfazer ao nosso cônjuge; sendo assim satanás começa a roubar tudo aquilo que no dia do nosso matrimônio proferimos e prometemos a Deus e a nossos esposos, em satisfazê-los e amá-los, caminhar juntos na alegria e na tristeza, na pobreza e na riqueza e assim por diante...
Destruir; por fim, após um esfriamento de casamento, e após satanás conseguir roubar de nós todo aquele sonho e esperança de um relacionamento que era para ser duradouro, então ele destrói não só o casamento, más consegue também destruir o ego e o caráter do marido e da esposa, e todos que estão em volta também são afetados; filhos, parentes e amigos inclusive a Igreja.

          O que estou escrevendo não é utopia, e sim a realidade que estamos vivendo no nosso cotidiano. Tenho testemunhado muitos casamentos que começaram muito bem, más que ao longo do caminhar foram atropelados pelas astúcias ciladas de satanás, onde seqüelas dolorosas ficaram devido a falta de vigilância. Promessas de Deus foram-lhes feitas, mas porque não foram cumpridas? O livro de Deuteronômio faz uma ressalva sobre as bênçãos de Deus destinadas á nós através da nossa obediência, más também nos diz sobre os castigos que virão sobre nós pela nossa desobediência. Cabe a nós decidirmos o que queremos.
          Deixo como exemplo para nós mulheres, a história de Eva, esposa de Adão. Deus já havia advertido a Adão sobre não comer o fruto da árvore da ciência do bem e do mal, colocando-o como cabeça sobre Eva, onde sua responsabilidade também era de não permitir que ela comesse do fruto da árvore da ciência do bem e do mal, porém; Eva deu mais crédito ao que satanás lhe prometeu, do que para seu marido, e também a Deus, que a formou que lhe havia dado um paraíso, onde ela não precisaria plantar e nem trabalhar para seu sustento, aliás, tudo o que eles precisavam Deus já havia providenciado. Sem falar que ela ficou tão fascinada com o que a serpente lhe falou, que se esqueceu que cobra não fala, embora alguns estudiosos acreditem que os animais na época do Éden falassem. Porém eu discordo piamente, pois os animais foram feitos segundo a Bíblia nos revela, para domínio do ser humano, como nos mostra no livro de Gênesis capítulo 1. Versículo 28.  Podemos perceber que além de Eva comer o fruto, persuadiu Adão a comê-lo também, revelando-se o pecado pela desobediência.
            Conosco não é diferente do que foi com Eva. Satanás apresenta-se para nós mulheres, não de chifres e rabo, mas sim ele usa suas artimanhas para chamar a nossa atenção, como: você passa em frente de um outdoor e vê uma mulher linda, cabelos totalmente diferentes dos teus, corpo perfeito, pernas longas e bronzeadas, ao lado de um carro belíssimo de ultima geração, com um homem com pele de pêssego, aparentando ser tudo aquilo que você gostaria que teu esposo fosse; e, se ainda continuar a ficar alimentando o que a tua mente tão fértil pensou, satanás continuará a lançar setas para que você chegue à conclusão onde: ou que acredite que o seu casamento foi uma furada, que você casou-se com o homem errado, e o certo seria um igual ao da foto, e ai vem à murmuração: -Eu devia ter dado ouvido no que fulana falou, que meu pretendente não era este, e sim aquele outro..., Eu poderia ter casado com ele, pois agora ele tem uma vida estabilizada, um carrão..., Será que vai ficar viúvo logo? - Ai! Se arrependimento matasse já estaria morta! Ou então satanás vai querer que você acredite que está antiquada, fora de moda e de forma, e então para que fique ainda mais triste ele coloca alguém na tua frente para te dizer - "Como você está gorda! O que você fez no seu cabelo, que ele está tão desidratado? Faça um corte moderno, e mude a cor também, pois cabelo como o seu está fora de moda, e renove seu guarda-roupa com cores da nova estação, pois está parecendo uma velha, e só assim você vai ficar igual a aquela atriz que faz o papel principal da novela, e que por onde ela passa tira suspiros de todos". Então, você alimenta está idéia de uma tal maneira que começa a pensar que só será feliz se fizer umas mudanças drásticas no seu visual, esquecendo-se que a mudança tem que ser de dentro para fora, e não de fora para dentro, tornando-se uma obsessão em sua vida. Então você se depara com uma academia no caminho para casa, e ainda tem a coragem de falar: - É de Deus! Entra e faz sua matrícula, pois agora você acha que está muito fora de suas medidas, ou seja, fora das medidas daquela moça que estava no outdoor, que por sinal nem se parece contigo.
          Próximo passo: entra numa loja e faz um monte de carnês, leva tudo o que a balconista falar que esta na moda, não importando que ficou um pouco apertado ou curto, pois você se matriculou na academia mesmo, e o importante é que sirva depois, e você fique igual à foto do outdoor.
          Terceiro passo: antes de chegar em casa, passa num salão de beleza, e pede para que a cabeleireira "faça" você ficar igual à moça da foto, logicamente que tudo isso: academia, compras, corte de cabelo... Tudo feito sem ter consultado seu esposo primeiro, para saber se ele concordaria ou não, ou se poderia entrar no orçamento do mês; sem falar que quando você entra em sua casa depara-se com seu esposo que por sinal nada se parece com o homem do outdoor, pedindo-lhe o jantar, e ainda por cima nem notando a mudança que foi feita em seu cabelo, sem contar o dinheiro que foi "investido" neste novo visual. Enquanto isso satanás só está batendo palma de alegria, porque você tem sido uma aluna obediente à voz e as setas dele, aliás, você nem se preocupou em vestir-se com a armadura de Deus e agora desprotegida, é um alvo fácil para o inimigo.
           Então toda esta fantasia chega em seu ponto clímax, onde você começa a achar que seu marido, sua casa, não te merecem, e que é hora de começar tudo de novo! - Então o adversário coloca em seu caminho um homem "parecido" com o da foto, falando-lhe palavras doces, suaves, prometendo-lhe uma vida totalmente diferente da que você estava acostumada a viver, porém depois que satanás consegui o que quer, que é o de destruir lares, ele se retira e vai procurar outra pessoa que também lhe abra uma brecha para entrar. Então você acorda de todo este pesadelo e vê que tudo não passou de ilusão, que não só sua vida foi massacrada, más a de seu esposo também.
          Querida leitora, este exemplo que citei não é simplesmente um conto, mas a realidade em que vivemos. Conheço prostitutas que no passado eram mulheres idôneas, bem colocadas no mercado de trabalho, com lares e filhos, más que infelizmente acabaram caindo nas ciladas de satanás, restando somente para elas as ruas, tornando-se "mulheres da noite". Poderia escrever inúmeros casos de lares que foram destruídos por satanás pela falta de vigilância. Se pararmos para conversar com os andarilhos ouviremos casos muito semelhantes a este que relatei ou outros que iremos nos sensibilizar.
          Por isso afirmo sempre que todos nós estamos sujeitos a passar por situações constrangedoras, porém se fizermos uso constante da palavra na qual o espírito Santo de Deus inspirou o amado apostolo Paulo quando escrevia aos Efésios, para que façamos uso da "armadura de Deus", pois somente após estarmos revestidos com o poder de Deus é que conseguiremos vencer as astutas ciladas de satanás.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Como Educar os Filhos à Maneira de Deus


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele" (Provérbios 22:6)



                          Como Educar os Filhos à Maneira de Deus
           Agradeço a Deus pelas pérolas preciosas que recebi dEle. São pérolas que mudaram minha vida e me transformaram na mulher e na MÃE MAIS FELIZ DO MUNDO, mãe de filhos maravilhosos que foram e sempre serão minhas jóias preciosas.
           Deus colocou diante de nós um casal de missionários que falou do amor de Deus e nos mostrou verdades bíblicas que abriram nossas mentes e nos fez decidir aceitar Jesus em nossa vida. Agora, com a Palavra de Deus em nosso coração pudemos educar nossos filhos, nossas jóias preciosas, à maneira de Deus. Tivemos muitos acertos mas também erramos, algumas vezes, quando a carne passava por cima do que Deus nos mandava fazer. Mas agradecemos a Ele os filhos que temos.
          Assim como eu, você que é mãe, decida de todo o seu coração educar o seu filho à maneira de Deus, de acordo com a Bíblia. É nela onde você vai saber qual é a maneira que Deus quer que você eduque o seu filho. Você quer educá-lo para a vida? Então veja o conselho que o Senhor lhe dá em Provérbios 22:6 ... "Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele."
Este é o conselho do nosso Deus ... um conselho sábio e, ainda mais, acompanhado de uma promessa ... e "até quando envelhecer não se desviará dele."           Educar meu filho é orientá-lo, instruí-lo, discipliná-lo e seguir todos os conselhos sábios do Senhor. Mãe, nunca entregue a educação dos seus filhos, eles mesmos escolherem os seus próprios caminhos, pois "... a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe" (Provérbios 29:15).
Que futuros homens e mulheres serão eles? Com certeza, eles serão fortes candidatos ao inferno. Que triste fim para nossos filhos! Não entregue também a outra pessoa a educação do seu filho! Lembre-se que ele nasceu um pecador e cabe a você orientá-lo para que ele se transforme em um homem (mulher) de honra que teme e ama o Senhor.
           Na Sua Palavra Deus me diz que devo orientar, instruir mas também devo disciplinar quando necessário, pois "o que não faz o uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga" (Provérbios 13:24). Há uma frase muito interessante e verdadeira do pastor Henry Ward Beecher ... "Não é difícil fazer uma criança ou uma árvore crescer de maneira correta se você os educa quando jovens, mas não é fácil endireitá-los depois que você permitiu que crescessem errados." Toda mãe sabe o quanto é difícil trazer um jovem rebelde para os caminhos do Senhor. Por isso, saiba de uma coisa: a personalidade de uma criança é formada até mais ou menos cinco anos de idade. Então, eduque o seu filho do modo como o Senhor quer e assim você poderá ter certeza que ele não será um jovem rebelde mas um jovem que ama e é submisso ao Senhor. Eduque-o nos caminhos do Senhor. Mas quais são os caminhos do Senhor? A Bíblia nos diz em Provérbios 6:20-21 ... "Filho meu, guarda o mandamento de teu pai, e não deixes a lei da tua mãe..." A lei de uma mãe é aquela que ela aprendeu do Senhor. É uma lei sem erros. É a lei que a faz levar seu filho pelos caminhos do Senhor.
           A Bíblia diz que...
"O caminho de Deus é perfeito" (Salmos 18:30).
"O caminho do Senhor é fortaleza para os retos..."
(Provérbios 10:29).
           Qual é a mãe que andando por este caminho vai errar?
           Se eu caminho lado a lado com o Senhor, se estou sempre agradecendo a Ele, tenho que confiar que irei orientar, instruir e disciplinar meu filho da maneira mais correta possível. O Senhor me diz ... "No caminho da sabedoria te ensinei, e por veredas de retidão te fiz andar" (Provérbios 4:11).
"Ensina-me, Senhor, a ser uma mãe justa, equilibrada e que está sempre atenta aos teus ensinamentos.
Ensina-me a dar bons conselhos a meu filho, a corrigi-lo na hora certa sem, nem de longe, pensar em voltar atrás na disciplina por causa de impaciência, cansaço ou desânimo. Que eu o discipline da maneira mais correta, justa e perfeita.
Ensina-me a andar nos Teus caminhos que são perfeitos e me transformam numa mulher forte e sábia.
Obrigada, Pai, pela Tua Palavra que é luz para os meus pés.
Toma em Tuas mãos os meus filhos e netos e transforma-os em homens e mulheres de honra.
É no nome de Jesus que Te peço tudo isto. Amém!"
DISCIPLINAR, EDUCAR, ORIENTAR, INSTRUIR, ACONSELHAR
          O dia a dia de uma mãe que deseja o melhor para seu filho é cheio de interrogações ...

1- De que maneira devo disciplinar meu filho?
2- Como educá-lo a fim de que ele se transforme em um homem de bem, cheio de fé e obediente ao Senhor?
3- Como orientá-lo para que ele faça o que é certo aos olhos do Senhor?
4- Como instruí-lo no caminho em que deve andar?
5- Como posso aconselhá-lo sabiamente?

          As respostas para estas perguntas encontramos na Palavra de Deus que é cheia de sabedoria ...
"Filho meu, não rejeites a correção do Senhor, nem te enojes da sua repreensão. Porque o Senhor repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem" (Provérbios 3:11-12).
"O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga" (Provérbios 13:24).
"O filho sábio alegra seu pai, mas o homem insensato despreza a sua mãe" (Provérbios 15:20).
"O que gera um tolo para a sua tristeza o faz; e o pai do insensato não tem alegria. O filho insensato é tristeza para seu pai, e amargura para aquela que o deu à luz" (Provérbios 17:21,25).
"Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar" (Provérbios 19:18).
"Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela" (Provérbios 22:6,15).
"Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá. Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno" (Provérbios 23:13-14).
"A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe. Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma" (Provérbios 29:15,17).

           Veja, amada mãe, que tesouro temos em nossa própria casa! Que tesouro temos diante de nossos olhos! Que conselhos bons e cheios de sabedoria! Podemos dizer que o livro de Provérbios é o manual de disciplina da criança, cheio da sabedoria de Deus e de instruções que poderão nos ajudar a treinar nossos filhos em incontáveis caminhos. É um livro que nos mostra que devemos usar a vara quando necessário.
          Mãe, nunca deixe de disciplinar seu filho, pois fazendo assim você estará agindo contra os princípios perfeitos de Deus. LEMBRE-SE sempre do seguinte:

* A Bíblia diz a mim e a você que ... "A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela" (Provérbios 22:15).
A psicologia moderna nos diz que o ser humano é basicamente bom mas a Bíblia diz que ele é falho, corrupto por natureza e precisa se converter e se regenerar.

* Se você não disciplina o seu filho o resultado para a sua tristeza é este ... "O que gera um tolo para a sua tristeza o faz; e o pai do insensato não tem alegria." (Provérbios 17:21).
E mais ...
"O filho insensato é tristeza para seu pai, e amargura para aquela que o deu à luz"
(Provérbios 17:25).
E ainda mais ...
"A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe"
(Provérbios 29:15).
* Se você decide disciplinar seu filho, veja, então, o que a Bíblia diz sobre esta sua decisão ...
"Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele"
(Provérbios 22:6).
Veja que promessa maravilhosa para a vida do seu filho! Portanto, mãe, comece a disciplinar seu filho, pois ... "O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga" (Provérbios 13:24).
          Não espere que seu filho obedeça ou faça tudo correto se você não o treinar, não o ensinar. Você tem que ensiná-lo a, por exemplo, não pegar no jarro que está na mesinha do seu conjunto da sala de visita, a não subir a escada que vai para o primeiro andar, porque é perigoso, a não colocar o dedinho na tomada de luz ... Seu filho deve ser treinado "no caminho em que deve andar" (Provérbios 22:6). Este caminho não é o caminho natural da criança mas é o de Deus.
          Mãe, lembre que na disciplina você tem que fazer o uso da vara ... "Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá. Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno" (Provérbios 23:13-14).
          A vara, que é mencionada na Bíblia quatro vezes, é o instrumento bíblico próprio da disciplina.
Devemos estar atentas para não usarmos nossas mãos, nem os punhos, nem tapa, nem bofetada, nem pontapé ... O instrumento que devemos usar é a vara.
Lembremo-nos sempre do que a Bíblia nos diz ... "O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga" (Provérbios 13:24).

 
COMO DISCIPLINAR
Finalmente, a disciplina ...

1- tem que ter em mente a eternidade"... e até quando envelhecer não se desviará dele" (Provérbios 22:6);

2- tem que ter em mente o livramento do inferno
"Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno" (Provérbios 23:13-14);

            Mãe, olhe para além dos gritos ou lágrimas do seu filho. Olhe para muito além da sua impaciência ou falta de tempo. Pense no dia em que seu filho deixar este mundo e partir para a eternidade. Para onde será que ele vai? Onde ele irá viver eternamente? No CÉU ou no INFERNO?
ISTO VAI DEPENDER DE VOCÊ.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Caráter da Mulher de Deus



Caráter da Mulher de Deus:






Mulher Camaleão - Mulher Verdadeira

          Já viu aquela pessoa que gosta de dar um jeitinho para tudo? Parece que para ela nem existem problemas, pois para toda a situação ela logo arranja uma solução. Para sair do problema ela fala uma mentirinha, falsifica alguma coisa, inventa uma desculpa, finge que está doente, eu não sei, eu só sei que essa pessoa é trapaceira e não se incomoda com isso. Pelo contrário, se julga muito esperta, consegue sempre se sair “bem” e dribla qualquer situação que se lhe apresente pelo caminho. Claro que este tipo de caráter não agrada a Deus, pois Nele não há engano. Mais cedo ou mais tarde, tudo vem à tona e conhecerão sua verdadeira natureza. Busque sempre ser honesta, cumpra seus compromissos, não há coisa pior do que ter má fama, ser conhecida como trapaceira, caloteira, pessoa que não tem palavra. Não se esqueça, o seu caráter é que vai mostrar se você é de Deus ou não.
           Depois de muito falar de caráter, vamos pensar se na pratica mostramos o caráter de Deus. A pessoa que possui o caráter de Deus, o possui a todo o momento e em qualquer situação. Mas o que temos visto? Muitos manifestam um bom caráter quando tudo está bem, quando tudo é favorável, quando está na sua zona de conforto, resumindo, quando ninguém invade o seu mundo. Mas é só acontecer alguma coisa, ser repreendida, receber um desprezo, ser humilhada ou criticada e logo a pessoa mostra quem ela é realmente, seu caráter muda de acordo com as situações. Agora, sejamos sinceras, quem tem o caráter de Deus será que pode ser de um jeito quando tudo está do seu agrado, e ter outro comportamento quando está passando um deserto? Gostaria de falar de Saul e Davi, os dois, cada um em seu momento, tinham sido ungidos por Deus, até ai não há diferença alguma, mas repare o comportamento dos dois quando passaram pelo deserto. Saul se tornou raivoso, agressivo, invejoso e mau caráter ao ponto de querer matar Davi. Por sua vez Davi sendo perseguido sem justa causa, nunca manifestou ódio, raiva ou vingança contra Saul, pelo contrario, tendo oportunidade de matá-lo não o fez. Notem a grande diferença, Saul se transformou, mas Davi seguiu sendo a mesma pessoa de sempre, porque possuía o caráter de Deus. Vamos refletir quais têm sido nossas atitudes:
• Você é a mesma para com todos, ou muda seu comportamento dependendo da pessoa?
• Você é a mesma na igreja e quando está dentro de casa com seu marido ou com os seus pais?
• Segue mantendo seu caráter de mulher de Deus quando passa pelo deserto, ou manifesta muita raiva, fala mal das pessoas e tem sede de vingança?
• Você é a mesma pessoa diante das autoridades da igreja e quando está sozinha ou com suas amigas?
• Você cumpre seus compromissos, ou fica gastando em coisas desnecessárias e depois não tem para pagar?
• Você mantém a sua palavra ou dependendo da situação você muda o que falou?
• Você tem sido humilde para aprender ou tudo tem que ser do seu jeito? São várias perguntas, para que possamos meditar em cada uma delas e conhecer quem somos realmente. Não esqueçam amigas, quem tem o caráter de Deus o tem em qualquer lugar e em qualquer situação. O caráter mostra quem é de Deus e quem não é.
 
 
Mulher com Discriminação - Mulher sem Discriminação
 
          Todas sabemos que Deus não faz discriminação de pessoas, por conseguinte isso não faz parte do Seu caráter. Agora você pergunta: mas pode uma pessoa da igreja ser racista ou discriminar alguém? Amigas, existem vários exemplos de preconceitos, não é só discriminação racial, há vários comportamentos que demonstram isso e acontece também entre aqueles que se dizem cristãos, mas que infelizmente não possuem ainda o caráter de Deus. Você pode discriminar alguém com palavras, gestos ou atitudes, considerando ao seu entender, que a pessoa é inferior e não tem os mesmos direitos que os demais. Exemplos:
• Por ter algum defeito físico
• Pela aparência
• Na obra de Deus, por ser nova de obreira ou como esposa de pastor
• Pelo nível cultural
• Pela origem
• Pela cor
• Pela sua situação econômica
• Por não simpatizar com ela Como vemos, temos que cuidar de cada detalhe, para não desagradar a Deus com as nossas atitudes. Veja se você, sem dar-se conta está discriminando alguém.
 
Mulher Injusta - Mulher Justa
 
           A justiça faz parte do caráter de Deus, Ele é justo e se agrada com a justiça. Como pode então a pessoa que diz ser de Deus e é injusta com o seu próximo? Veja bem suas atitudes, muitas vezes a pessoa comete injustiças e nem se dá conta disso, pois se deixa levar pelos sentimentos. Às vezes existe a mesma situação, só que uma está acontecendo com uma amiga, uma pessoa que você gosta e aprecia, e por outro lado está acontecendo exatamente a mesma coisa mas com alguém que você não simpatiza tanto. Então em relação à sua amiga você se comporta de um jeito e em relação à outra pessoa de outro jeito. Com a sua amiga você é compreensiva, benevolente, vê tudo com bons olhos e faz vista grossa a tudo o que está acontecendo. Já com a outra você é implacável, a julga sem piedade e nem pensa duas vezes em aplicar um castigo. Será que isso é justo diante de Deus? Não, a pessoa que é justa, ela o é a todo momento e para com todos, agrade ou não lhe agrade, ela tem um caráter justo e procura fazer justiça de igual maneira, independente de quem seja.
 
Mulher Falsa - Mulher Sincera


         Vamos falar de uma qualidade muito apreciada, mas difícil de encontrar, a sinceridade. Não tem coisa pior que conviver com pessoas que tem “duas caras”, na sua frente ela é amável, carinhosa, lisonjeia, só falta beijar seus pés, mas basta você dar as costas que aquela ovelhinha vira um lobo feroz e começa a atacar.
          Vejamos varias maneiras de expressar a falsidade: Transtorno de Personalidade
• A pessoa fala mal de outra, a critica, insinua coisas ruins a seu respeito, enfim faz de tudo para denegrir a sua imagem.
• Se a situação não está desenvolvendo da maneira que ela gostaria, ou não está a seu favor então ela usa o seu lado fingido para poder se sair bem, o importante é reverter a situação sem importar o que ela tenha que fazer. Como pode ser tão boazinha e daqui a dez minutos tão malvada, é com certeza uma falha no caráter, se torna normal para a pessoa atuar desta maneira, ela não consegue enxergar que está mal.
• Tem outra situação que a pessoa pode ser fingida, e é por carência, ou seja ela quer chamar a atenção ou receber carinho e então começa a falar coisas que na verdade ela não sente ou não pensa, pois fazendo isso ela vê que recebe alguma atenção ou um pouco de carinho, claro não deixa de ser errado pois é uma falsidade.
• E por último, a pessoa pode usar da falsidade para omitir sua condição, mostrar-se de maneira diferente para levar vantagens, obter lucros, ascensão social, etc.
          Este tipo de comportamento é contrario à natureza de Deus, o que a pessoa é pela frente ela deve ser por trás, pois tem um caráter sincero e verdadeiro, então ela é a mesma em qualquer situação e não se transforma, mostrando assim dupla personalidade e falta de caráter. Uma pessoa que é falsa não é confiável, pois toda ela é uma mentira.

 
Mulher Orgulhosa - Mulher Humilde
 
          Toda a mulher que deseja ser uma mulher de Deus, deve de analisar o seu caráter e ver se as qualidades do caráter de Deus estão nela. Se nos intitulamos mulheres de Deus devemos entender que todas as nossas atitudes vão estar relacionadas com o próprio Deus, por isso a verdadeira mulher de Deus ela mostra o caráter de Deus na vida dela, e em tudo o que ela faz. Hoje vamos falar da humildade, característica que faz parte do caráter daqueles que são de Deus. Aprendemos do próprio Senhor Jesus a atitude mais linda do que é ser humilde, porque sendo Ele senhor sobre tudo, veio a este mundo na condição de servo e nos deixou o exemplo a seguir da verdadeira humildade. Mas se a pessoa não vigia, ela pode passar da humildade ao orgulho em dois tempos, as coisas ruins estão ai sempre querendo tomar controle, mas cabe a nós dominar. A má noticia é que muitas pessoas que são orgulhosas não conseguem dar-se conta, é um comportamento tão natural, que simplesmente elas não conseguem ver o orgulho que possuem, pensam que são justas, que têm a razão e que atuam dessa maneira em defesa própria. Mas afinal, quando a pessoa manifesta orgulho?
• Quando tem que ser tudo do jeito dela
• Não aceita correção nem ensino
• Não tem a capacidade de perdoar alguém que a tratou mal ou errou com ela
• Se sente superior aos demais
• Se crê insubstituível
• Não é capaz de escutar quem quer ajuda-la
• Pensa que sabe tudo
• Erra e ainda se sente a dona da razão, mantendo a sua postura altiva.
 
Mulher Apegada - Mulher Desapegada
 
          Normalmente os seres humanos têm metas e fazem planos, não há nada de mal nisso, o problema começa quando a pessoa por não estar satisfeita consigo mesma ou com aquilo que possui, dá lugar à inveja. Quando falamos de inveja logo pensamos, que sentimento feio e carnal, mas infelizmente existe até mesmo dentro das igrejas, entre pessoas que se dizem cristãs. Ao contrario do que muitos pensam, a inveja não é só em relação a coisas materiais, como ter inveja da casa, carro, dinheiro, roupas, e outros bens que a pessoa deseja ter e começa a cobiçar nos outros.
           A inveja também se pode manifestar em relação a bens não palpáveis, como por exemplo, a pessoa pode sentir inveja em relação:
• à posição de outra pessoa que ela deseja ter para ela
• ao casamento feliz de uma amiga
• à beleza física de outra mulher
• à maneira de ser, ela vê em outra pessoa tudo o que na realidade queria ser e não consegue
• à atenção ou carinho que suas amigas recebem e você não
• ao sucesso de outra pessoa
          E o pior é quando a pessoa tomada por este sentimento maligno, toma atitudes com a intenção de prejudicar e/ou tirar do seu caminho a pessoa que ela inveja, falando falso testemunho e mentiras contra ela. Amigas, não é errado ter as coisas ou lutar para conquista-las, o erro está em querer ter o que é dos outros, alimentar o sentimento de inveja, desejando que você tivesse determinada coisa e a pessoa não. Cuidado, às vezes pode passar desapercebido, mas é algo que corrói seu interior e que você deve rejeitar. Você não precisa invejar ninguém, saiba que Deus te ama como você é e que você pode conquistar através da fé, sentindo felicidade quando os demais também são abençoados. Este é o caráter de Deus, totalmente contra a inveja e a cobiça e assim deve ser o caráter da mulher de Deus.
“As invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus.” Gálatas 5.21.
 
Mulher Indiscreta - Mulher Discreta
 
          Vamos falar de um pequeno membro do nosso corpo, mas que faz um grande estrago quando não é usado devidamente. Pensa naquela pessoa fofoqueira, indiscreta que simplesmente você não pode contar nada perto dela. Tudo que ela escuta ou vê não consegue guardar para si mesma, a língua coça e ela tem que contar a todos.
           O faz por simples prazer ou às vezes para mostrar que sabe ou que viu. Bom, o motivo porque o faz, na verdade não é relevante, o importante aqui é que essa pessoa não é confiável, as pessoas começam a se apartar dela, quando ela chega, todos fazem silencio, porque será? E os que se aproximam dela é porque querem saber algo e já sabem que ela vai contar. Essa atitude é muito feia e o pior de tudo que a pessoa não se da conta que isso não faz parte do caráter de Deus, pois para ela é algo normal e prazeroso. Se você quer ser uma mulher confiável, que as pessoas se sentem seguras em desabafar ou confiar algo a você, então seja discreta.
 
Mulher Faladeira - Mulher Firme na Palavra
 
          Disse, não disse, falou, não falou, quantos enredos com as palavras. A pessoa que possui o caráter de Deus, mantem a sua palavra, ela não fala uma coisa e depois nega que falou, ou fala outra. Ela assume as suas palavras, ainda que tenha errado, ela prefere ser verdadeira. Quando a pessoa é assim, ela é confiável, os demais sentem firmeza nela, ela mostra um caráter diferente ao daquelas pessoas que sempre dizem uma mentirinha para se saírem bem, negam algo que falaram para não estar em problemas, enfim ela se resguarda tanto das pessoas e esquece de resguardar a sua fé, os seus princípios e a sua conduta. Está tão preocupada em se ver bem aos olhos dos demais e se esquece que os olhos de Deus a estão observando a todo momento. Se o que você vai dizer não é edificante, melhor não diga nada. Se for algo serio e relevante fale diretamente, com quem pode resolver para não virar uma fofoca.
 
Mulher Rancorosa - Mulher sem Vingança
 
          Será que devemos fazer vingança pelas nossas próprias mãos? Quando alguém nos faz mal, nos prejudica intencionalmente, nos despreza, será que devemos fazer o mesmo em relação a essa pessoa? Óbvio que não, você não é Deus, não confia na justiça Dele? Então deixe que Ele vai mover as peças, encaixar tudo em seu devido lugar, você não tem que se preocupar por nada. Se a pessoa agiu mal com você, será que agora você vai agir de igual modo com ela? Que diferença há então entre as duas? Nenhuma.
Veja o que menciona a palavra de Deus:
“Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira de Deus, porque está escrito: Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor.” Romanos 12.19
Não se preocupe, todos vão colher o que plantam, não gaste as suas energias querendo fazer a pessoa “pagar” o que ela te fez, ou sujando seu coração com isso. Deixe nas mãos de Deus, Ele sabe direitinho como dar uma boa lição, não se esqueça, Ele é o Justo Juiz.
 
 

Google+ Followers

Postagens populares