segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Sacramentado por Deus: O Casamento


 


O CASAMENTO É VONTADE DE DEUS.

 
          O casamento faz parte da própria ordem de Deus, na sua criação. Desde o princípio ele procurou deixar claro tanto para o homem quanto para a mulher que ambos precisavam um do outro, que o homem precisava de uma esposa (Gn 2.18) e que a mulher precisava de um marido (Gn 3.16). Foram criados um para o outro; isto Deus procurou deixar claro desde o inicio (Gn 1.26, 27; 2.23). O casamento é sacramentado por Deus, é a expressão máxima de afeto e amor mútuo entre o homem e a mulher, de reciprocidade, e comunhão. Por isso o próprio Deus usou a figura do casamento para expressar a profundidade do amor que ele tem por nós (Ef. 5.21-6.4). De acordo com a vontade de Deus, o casamento deve terminar apenas com a morte, ou de uma grave infidelidade conjugal ou separação de um cônjuge descrente. ( Mt 5.32; 19.9; Rm 7.2,3; 1 Co 7.15). Vale lembrar que apesar de Deus considerar a infidelidade um ato grave, existe a possibilidade de perdão entre os cônjuges, e também se um dos dois é descrente a Palavra de Deus não orienta a separação, pois a conversão a Jesus Cristo pode acontecer após o casamento. Porém a Palavra de Deus orienta que o casamento deve ser celebrado entre duas pessoas da mesma fé. (2 Co 6.14, 15).
 
 
OS PROPÓSITOS DE DEUS PARA O CASAMENTO.
 
          Apenas no versículo de Gênesis 2.24, é possível identificar três propósitos de Deus para o casamento: “Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.”
 
1. Deixar. Envolve um afastamento dos pais e implica numa união legal e publica de marido e mulher, através do casamento. Quando um casal não dá importância a esse elemento legal, é como se o casamento fosse “um roubo”. Pode existir o amor e o sexo, porém eles não tem nenhuma obrigação real de se empenhar na edificação de um lar e de uma família, enfim de um matrimônio responsável.

2. Unir-se. É tradução de uma palavra hebraica que significa fixar, grudar. Não é apenas uma união física, mas de propósitos, de sentimentos, de uma vida inteira. Se grudarmos duas folhas de papel e tentarmos separá-las, as duas rasgarão. A vontade de Deus é que ambos permaneçam assim, se amando e sendo fiéis um ao outro.

3. Tornar-se uma só carne. Além do sexo, significa: “duas pessoas compartilham tudo o que tem, não apenas seus corpos, não apenas seus bens materiais, mas também seus pensamentos e sentimentos, alegrias e tristezas, esperanças e temores, sucessos e fracassos”. Cada um mantém a sua individualidade, sua identidade, mas há um ajustamento que se pode dizer: “são uma só carne”. Os planos e desejos que cada um individualmente possui, podem sim ser compartilhados e alcançados juntos no casamento.

          Além destes três propósitos expressos em Gênesis 2.24, ao longo das escrituras podemos ver que existem outros propósitos de Deus, na instituição do casamento:

1. A propagação da raça humana.

2. É a única condição que Deus deseja a prática do sexo.

3. É a maneira de Deus de criar os filhos.

4. O casamento é a maneira de Deus incutir nos filhos os princípios da justiça e da autoridade responsável.

5. O casamento é o meio pedagógico de Deus ensinar aos filhos sobre Si mesmo.

Google+ Followers

Postagens populares