segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Talento ou Unção? Quem somos por dentro, é o que realmente somos!

Ter talento ou unção? O que a Bíblia nos ensina?!

 
Muito se fala sobre talento na igreja! Mais o que é importante, talento ou unção? São consequência um do outro?

           Graças a Deus tive a oportunidade de conversar com muitos líderes e Pr’s do Brasil, onde os mesmos tinham a mesma dificuldade, quando o assunto é equipe/grupo de louvor ou equipe de dança/teatro! Perguntas comuns como: O que priorizar na escolha de uma equipe? Talento ou Intimidade com Deus? Essa é uma questão que muitos não obtém respostas! Com toda a certeza uma equipe extremamente talentosa e profundamente cheia do Espírito Santo é o desejo de todos. Uma equipe dessas alinhada com o líder da igreja contribui e muito para que o reino cresça. Quem nunca foi ministrado profundamente por um louvor bem tocado e com muita unção extravagante!? Como é lindo vermos um dançarino(a)/ator exercendo sua arte cheio do Espírito de Deus! Na Bíblia temos o exemplo de dois artistas com essas duas características; Bezalel e Aoliabe foram artistas visuais com criatividade inesgotável e cheios do Espírito Santo; com destreza, habilidade e plena capacidade; eram talentosos, piedosos e com dons na área de ensino.
Êxodo 35:30-35 “Disse então Moisés aos israelitas: “O Senhor escolheu Bezalel, filho de Uri, neto de Hur, da tribo de Judá, e o encheu do Espírito de Deus, dando-lhe destreza, habilidade e plena capacidade artística, para desenhar e executar trabalhos em ouro, prata e bronze, para talhar e lapidar pedras, entalhar madeira para todo tipo de obra artesanal. E concedeu tanto a ele como a Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, a habilidade de ensinar os outros. A todos esses deu capacidade para realizar todo tipo de obra como artesãos, projetistas, bordadores de linho fino e de fios de tecido azul, roxo e vermelho, e como tecelões. Eram capazes para projetar e executar qualquer trabalho artesanal.”
          O filósofo grego Heráclito ensinava que o seu caráter é o seu destino. Essa é uma inversão de valores para nós, porque temos a tendência de pensar que nosso destino está embrulhado em nosso talento. Mas a verdade é que o nosso destino não está vinculado àquilo que fazemos como artistas; está atrelado ao que somos como pessoas. Quem você é, quando ninguém está olhando? Quem você é quando não está no palco? Quem você é, quando ninguém está olhando para o seu trabalho? Quem é você na verdade? Caráter formado simplesmente significa que estamos tentando ser as pessoas que Deus quer que sejamos. Para aqueles dentre nós com temperamentos artísticos, isto significa tornarmo-nos os artistas que Deus quer que sejamos. Não estou falando em ser perfeito. Estou falando de um caráter que tem, com o tempo, provado ser coerente com a vida que Deus nos chamou para viver.
 
          Paulo diz que nossas vidas devem demonstrar “amor, que procede de um coração puro e de consciência boa e de fé sem hipocrisia” 1 Timóteo 1:5. Em outras palavras, uma pessoa de caráter é amorosa, tem uma consciência limpa, e possui um relacionamento autêntico com o Senhor. Esses são indicadores de alguém com um caráter cristão. Estamos vivendo vidas autênticas como seguidores de Cristo? A Bíblia se refere a autenticidade como sendo viver uma vida verdadeira em nosso íntimo – Salmos 51:6 – e viver uma vida de sinceridade divina – 2 Coríntios 1:12. Refletindo: Nós somos o que dizemos que somos? Estamos vivendo o que cantamos, tocamos, escrevemos? Infelizmente alguns tentam se esconder atrás de seus talentos, negligenciando quem são por dentro, esquecendo que, quem somos por dentro, é o que realmente somos!
 
 
Comente:

Google+ Followers

Postagens populares