segunda-feira, 16 de setembro de 2013

A Virtude do Espírito Santo na Nossa Vida!



A VIRTUDE DO ESPÍRITO SANTO NO ENSINO, NA PREGAÇÃO E NA OBRA DE FAZER DISCÍPULOS
ÍNDICE

1.BATALHA ESPIRITUAL
1.1Organização
1.2Níveis Espirituais
1.3Fraquezas do Homem
1.4Armas de Defesa
1.5Fortalecendo a Fé
1.6Seja um Estrategista
1.7Permaneça nos Lugares Fortes
2.DEUS CUIDA DE NOSSOS PROBLEMAS
2.1Deus Supre as Nossas Necessidades
3.SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO
3.1O Que é ser cheio do Espírito Santo?
3.2Por que e para que ser cheio do Espírito Santo?
3.3Como ser cheio do Espírito Santo de Deus?
3.4Princípios e Características Espirituais
3.5Profunda Comunhão
4.TÉCNICAS DE ENSINO-APRENDIZADO
4.1Behaviorismo
4.2Jean Piaget
4.3Lev Vygotsky
4.4Howard Gardner – Inteligência Espiritual
5. MARCAS DO CHAMADO
5.1 Resultado do Chamado
6. QUESTÕES DA VIDA QUE TEMOS QUE APRENDER A LIDAR
6.1 Serve para
6.2 Fundamentos para a sobrevivência humana
6.3 Dicas
6.4 Por que o justo sofre?
6.5 Sofrimento do justo ≠ do ímpio
7. ADVERSIDADES E TRIBULAÇÕES NA CAMINHADA
7.1 QG Espiritual
7.2 No deserto, Deus age
7.3 Após o deserto
8. ORAÇÃO
9. QUAL O CRISTIANISMO QUE ESTAMOS VIVENDO?
9.1 Pilares fundamentais para pratica da vida cristã
9.2 Cristãos pela pratica de vida
9.3 Arrebatamento e Vida Futura
9.4 Deveres do Cidadão Celestial
9.5 Arrebatamento e Vida Futura
10. O PODER DA DECISÃO
10.1 Uma pessoa determinada
10.2 Aprendizado
10.3 Tenha um novo rumo de vida
10.4 Verdadeiro Cristão
11. BIBLIOGRAFIA


1. Batalha Espiritual (Is 144.12-20; Ez 28.12-19; Lc 10.18; Ap 12.7-9):

 • A batalha não é contra Satanás e seus demônios: eles promovem rivalidades e discórdias: Ef 6.12-17; 1 Tm 6.12; 2 Tm 2.1, 3-5; 1 Pe 5.8
• O oponente, suas armas, estratégias, aliados e territórios das batalhas: Dn 11.21-45; Mt 13.24-43; 2 Jo 1.7; 2 Ts 2.3,4
• Queda de Lúcifer – Ez 28.12-19; Is 14.12-14
• Principal inimigo: Gn 3.1-6; Jo 10.10; 2 Co 11.14; 1 Pe 5.8; Ap13.1-3; 20.2,10
• Caráter: Pai da mentira e homicida (Jo 8.44); caluniador; separador; mal; injusto; indigno; perverso (2 Co 6.15); enganador (Ap 12.9); iníquo (2 Ts 2.9); maligno (1 Jo 5.18,19).
 • Coligação do mal que trabalha unida: Mt 12.24-26,
 • Plano de matar o homem: Jo 10.10; 1 Jo 5.19; Ez 18.4,20; Gn 3.4
• Poder destruidor: Ap 12.4
• Transfigura-se: 2 Co 11.14 Organização (Ef 6.11,12):
• Principados: exercem poder sobre outros demônios inferiores.
• Potestades: comanda milhares de demônios, inferior aos principados.
• Príncipes das trevas deste século: comandam outros que agem em áreas específicas, trabalham somente no mundo espiritual, para que o homem não veja a Glória de Deus, contra o Reino e a Igreja. • Hostes espirituais da maldade: tropas ou exércitos de demônios, sempre prontas a atacar, são enviados a todo instante contra pessoas, grupos ou nações. Exercem autoridades sobre os homens perdidos e que rejeitam a Jesus cristo.
• Campo de batalha: Fp 4.8; 2 Co 11.3; Ef 2.3; Mt 8.28; Mc 9.17,18; Tg 1.26; Tg 3.8-11; Pv 13.3; Ef 4.20-23 Níveis Espirituais (Lc 22.31,32):
• Pessoal/individual: Lc 22.3; Jo 13.26,27; como proteção - 1 Pe 5.8; Ef 4.27
• Coletivo: Gl 5.17-21; 1 Jo 2.16
• Local: residência, serviço etc., repreender o inimigo em nome de Jesus Cristo
• Nacional: colapso social, revoluções, guerras etc.. 2 Co 4.3,4
• Espiritual: Ef 6.12; Dn 10.12,13; Pv 14.12 Fraquezas do Homem (1 Co 10.13):
• Fuja dos desejos da carne: Mt 4.3
• Resista á soberba da vida: Mt 4.5-7; 10.24; Pv 11.2; 16.18; Dn 4.1-37; 5.18-21; Tg 4.6; Sl 138.6; 1 Pe 5.5; Is 14.13,14; Jo 1.23; 3.30; 2 Co 10.17,18; Sl 19.13; Fp 2.7,8
• Resista á cobiça dos olhos: Mt 4.8-10; Lc 24.26; 2 Co 1.7 Armas de Defesas (Ef 6.11-18; 2 Co 10.4): SOS Falta de ataque - Falta de proteção - Falta de suprimento
• Encher-se do Espírito Santo: Ef 1.12-14; 6.10; Mt 3.16; 4.1; 28.18; Jo 14.26; Sl 51.10,11; Tg 1.5,6; 1 Co 12.8-10
• Firmado na verdade e na justiça: Ef 6.14
• Falar a verdade e praticar a justiça: Ef 6.10; 14.17; Rm 12.2
• Amor e obediência a Cristo: Jo 8.29; 15.7; Rm 12.9; 13.10; 1 Sm 15.22; Gl 5.24; Cl 3.14; Rm 15.1
• Ser submisso a Deus: 1 Sm 15.22
• Poderoso Nome de Jesus Cristo: Jo 14.13,14
• Usar o poder da Palavra: Ef 6.15; Sl 91.10-12; Lc 1.37; Gn 18.14
• Ter e exercitar a fé: Ef 6.16; Mc 9.23; 11.23,24; Rm 10.10; Hb 11.1,6; Gl 3.11
• Proteção com o capacete da salvação e a espada do Espírito Santo: Ef 6.17
• Perdoar: 2 Co 2.10,11; Gn 27; 41; 37; 57; 42; 45.4,5,15; Pv 20.22; Mt 6.14,15; Ne 1.5-11
• Jejuar: Mt 6.16-18; Mt 9.14,15
• Vigiar: Lc 21.34; Mt 26.38,41
• Ler, meditar e colocar em prática a Palavra de Deus: Cl 3.16; Rm 10.17; Sl 119.11,97,105,116,117,130,140; Sl 1.1-3; Js 1.8; Hb 4.12; Sl 1.3
• Orar: Ef 6.18; 1 Jo 5.14,15; Mt 6.5-8; 21.22; 1 Jo 5.15; Sl 34.6,17 – como proteção (Jo 17.15); como suprimento (Jo 17.17) e como ataque (Jo 17.21) Fortalecendo a Fé:
 • Somos filhos: 1 Jo 4.4
• Jesus desfaz as obras do maligno: Tg 4.7; 1 Jo 3.8
• Deus luta por nós: Rm 8.31-39
• Palavra de Deus é sua fonte produtora: Rm 10.17
• Autoridade Espiritual: At 19.15; 16.16-18; Lc 6.46; 10.19; 1 Co 15.25-28; Dn 2.20,21; Is 41.10
• O inimigo sabe que existe alguém maior do que ele: Ef 3.10,11
• A oposição terá fim: Rm 16.20; Ap 12.10
• Receber Jesus plenamente: Ef 4.27; Rm 10.9; Ap 3.20) Seja um Estrategista (Ne 2.11-16):
• Tenha convicção de quem você é, para enfrentar batalhas e seja vencedor: 1 Jo 4.4; Cl 2.15 e Tg 4.7 e Sl 91.4
• Não se intimide: Ne 2.17-20; 4.1-6
• Seja prudente: Ne 4; 5; 6; 7; Is 43.13; Sl 12.3
• Cuidado com os falsos profetas: Pv 26.28; Ne 6.10-14; Mt 7.15-18; 24.11; 1 Jo 4.1; 1 Co 14.29,33
• Persevere: Pv 3.34; Ne 2.19; 6.6-9; 1 Sm 17.45-47
• Discernimento espiritual: Sl 27.1-3; 1 Sm 17, 26, 45-47;1 Co 2.14-16; Ne 6.15,16
• Mire seu alvo: Gn 42.19; Ne 1.2,3;Nm 13.26-33; Mt 6.33; Hb 12.1,2
• Tribute a Deus a Honra e a Glória: Sl 19.13; Rm 8.37; 1 Co 15.51-57; 2 Tm 3.16 (Palavra inspirada por Deus) Permaneça nos Lugares Fortes (1 Sm 23.14a, 19, 29; 24.22b):
• Esconda-se na casa de Deus: Sl 27.4,5; 34.19; 57.1; 91.2;
• Fortaleça-se na Palavra de Deus: Sl 116.5-7;119.105
• Refugie-se nos braços de Deus: Dt 33.27; Is 6.8; Sl 46.1-5; 116.1-10
• Cristão estruturado: Rm 15.1
• Jamais perca a esperança: 1 Sm 23.27,28 (Sela-Hamalecote = pedra de escape)
• Aprenda a esperar em Deus: 1 Sm 26.9-11; 22.3; Sl 27.14; 40.1; Hb 6.12; Is 28.16; Ec 8.5
• Deus não desampara: 1 Sm 22.23; Sl 23.4Is 49.15
• Fuja se for necessário: 1 Sm 19.10; 20.1; 21.10; 22.1; 23.13; 27.1-12; Ec 9.4; At 14.6; Jo 11.54


2. Deus Cuida de Nossos Problemas (Jo 11.33):

• Confrontarmo-nos com nossos problemas: Gn 31.3; 25.21-26; 25.27-34; 27.1-28.7/33. Encara o problema e resolve com reconciliação e inteligência
• Pode não interferir diretamente, por algum tempo, na solução de nossos problemas: Hb 12.6. Corrige, ensina a fazer Sua vontade (Sl 119.71), aperfeiçoamento espiritual (Ef 4.22-24), glorificam a Deus (Fp 1.12), reforça a mensagem do evangelho (Fp1.14), renova a esperança (1 Rs 17.8-16)
• Deus dá a direção certa para resolvê-los: montar um plano, implementar mudanças e atingir o objetivo (Ne 2; Pv 21.5), situação-limite (Sl 142.1-7).
• Intercede e intervém a nosso favor: Is 43.13; Êx 6.1; Louvor e adoração reconhecendo o Seu poder (Sl 68.4; ap 1.6); Hb 7.23-25; Fp 4.6,7; Rm 8.26; feito por nós para nos (Ef 6.10,11,18; Mt 6.6); feita por nós aos outros (Tg 5.16; Gn 18.23-26; Lc 23.34); feita pela Igreja (Mt 18.18); Deus agi (Mt 7.11; Sl 33.18,19)
• Supre nossas necessidades: 1 Rs 17.3 Deus Supre Nossas Necessidades:
• Fisiológicas: ar, comida, água, temperatura, higiene, abrigo, repouso, atividade, sexo (Gn, Criação de tudo e depois deu ao homem, Dt 11.13-15
• Materiais: promove o pasto e repreende as pragas, mas o homem tem que trabalhar (2 Ts 3.10); Parábola dos Talentos; Dt 7.13; 12.7; 16.15; 28.12; 30.9; (Mt 6,25-33) priorizando Deus e recebendo provisão; (1 Ts 2.9) trabalhando e confiando em Deus; (Dt 14.22-29; 15.7-18; Sl 37.21,26; 72.13; 112.5; Pv 14.31; 19.7; Ml 3.10-12) honrando Deus com as primícias; (Sl 124.27-30; Lc 6.38; At 20.35) dai e ser-vos-á dado.


3. Ser cheio do Espírito Santo (Jo 4.24; 14.16-18; Hb 9.14; Sl 139.7-10; Lc 1.35; 1 Co 2.10,11; 12,11; Rm 8.27; Ef 4.30; At 1.8; 2.1-11; 5.3; Mt 12.31,32; Is 11.2; Jl 2.28,29; Ez 36.26,27; ):

• Concede revelação e capacitação divina: Jo 3.5; 16.8; 2 Co 7.1; 1 Co 12; Ef 4.11-13; Tt 3.5; Fp 2.13; Êx 31.3; Nm 11; 16.17,25; Jz 3.10; 14.19; 15.14-16; 16.29,30; 1 Sm 10.10; 16.13
• Atribui ao cristão: revelação da verdade (2 Tm 3.16; 2 Pe 1.21); transformar e regenerar (Jo 16.8-11; Tt 3.5; 2 Ts 2.13); gera fruto (Gl 5.22); fomenta unidade (Ef 4.1-44); concede dons (1 Co 12.4-6; Ef 4.11-13); intercede (Rm 8.26
• Templos cheios da Glória de Deus (1 Co 6.13-20): dinâmico (Gn 1.2); surpreendente (muitas formas de agir, trabalha como quer e na hora que quer); poderoso (At 1.8)
• Renovação espiritual: Dt 4.29; Hc 3.2; Nm 11.16,17; 24-30; Dt 34.9; Jz 3.10; 6.34; 1 Sm 10.6; 10-13; 1 Rs 18; Ed 1.5; At 2.1-4; 4.31; 2 Co 1.22; Ef 1.14; Ez 11.19,20; Jl 2.28-30
• Avivamento espiritual (At 2-4): ter desejo (Ap 2.5); ser obediente (Lc 24.49); permitir o avivamento de dentro para fora; buscar o avivamento com unidade da Igreja, oração e súplicas, fé e perseverança (Ef 4.4-6,12, 19; 6.18; 1 Pe 2.9; 5.6; At 1.14; Mt 7.7; 21.22; Rm 12.12; 1 Ts 5.17; Cl 4.2; Hb 10.38) O que é ser cheio do Espírito Santo? Lc 24.49
• Batismo: Mt 3.11; Jo 3.30
• Busca voluntária: Gl 5.16; At 2.41-44,46,47; 4.31,33 Obs: Mc 16.15-18
• Unção de Deus: Is 10.38
• Cristão autêntico: 1 Co 13.5; 2 Co 2.10; 12.15; Mt 6.14,15,34,35; 7.2; 18.21-23
• Cristão equivocado: não ama, não perdoa, não se nega, não esquece os agravos Por que e para que ser cheio do Espírito Santo?
• Viver bem: 1 Jo 4.4. a) trilhar a nossa vontade; b) aceitar o evangelho e permitir que o Deus controle em parte; c) controle total de Deus
• Guiado e protegido: Deus Onisciente
• Perigos ameaçam um local vazio: Ef 4.27; 5.28; Lc 11.24-26; 2 Pe 2.20-22; Rm 12.2; Cl 3.1-16
• Amadurecimento espiritual: mente de Cristo, revestimento de poder contra o mal
• Participar das Bodas do Cordeiro: Mt 25.1-10, as 10 virgens Como ser cheio do Espírito Santo? Mt 5.6
• Vivendo em amor: Ef 5.1,2; 1 Jo 4.7,8; 1 Co 13.4-8; Mt 22.37
• Andando na luz: 1 Jo 1.7-9; Mt 5.16; Hb 12.14; Tg 4.7
• Vigiando e Orando: Mt 26.41; Ef 5.14-18; 6.10-18
• Instruído e guiado pela Palavra de Deus: Sl 1.1-3 Princípios e Características Espirituais:
• Semelhança com Cristo: At 9.2; 11.26; 1 Co 11.1; Fp 4.9; Cl 3.12-16
• Temor de Deus: exige quebrantamento, arrependimento e conversão; reconhecer a soberania e a grandeza de Deus (Hb 4.13, Ne 1.5); Sl 112.2-7
• Generosidade e desapego aos bens materiais: Mt 6.25, 31-33; 1 Co 15.19; Sl 42.1,2
• Preocupação em anunciar a Palavra de Deus: não basta anunciar é preciso vivenciá-la; Rm 10.14
• Uso dos dons e da autoridade espiritual: At 4.33; Lc6.44; 10.19
• Obediência a Deus e à Sua Palavra: 1 Sm 15.22,23; Js 1.8; Rm 8.5; Jr 1.12; Mt 24.35; Nm 23.19; Js 21.45
• Busca Consagração: Gn 17.1; Lv 20.7; 1 Pe 1.15; Hb 12.14; Ef 4.17-24; Gl 2.20; Ef 2.3
• Ser fiel: Sl 101.6; Sl 12.1; 2 Tm 3.2-5; Dt 7.9
• Comunhão: Mt 23.9; Jo 15.15; Cl 1.13; 1 Jo 1.6; Rm 8.37-39; At 4.32-35; Sl 133.1-3 Profunda Comunhão (At 1.8; 2.17; 1 Co 12.7-11):
• Comunicação: Ef 4.25; Cl 3.9,10; Pv 25.11; Tg 3
• Disposição para ajudar o outro: Rm 12.5; 15.1
• Promove a paz: Jo 13.35; Rm 12.18; 13.10; Ministério da Reconciliação (2 Co 5.18)
• Cooperação: Rm 3.9; 32 cooperadores na lista de Paulo, além das Cartas (Rm 16)
• Aceitação do outro: Ef 3.10; 1 Pe 4.10
• Convivência com os irmãos: At 2.46; 2 Co 6.14
• Exercício do perdão: 2 Co 12.15; Mt 6.12; ficamos mais parecidos com Cristo, emocionalmente: equilibrados e amadurecidos, relacionamentos positivos intrínseca e extrínseca, fisicamente: evitamos doenças, passamos a prosperidade, pois nossa oferta é feita (Mt 5.23)
• Doação: 1 Pe 1.22; 1 Jo 3.18; 1 Co 13.5; Tg 1.27; 2 Co 8.1-5


4. Técnicas de Ensino-Aprendizado: Behaviorismo – pensamento comportamentalista, objeto da psicologia, sua maior pesquisa é a caixa de Skinner (1953) estudada até hoje.

• Um comportamento é seguido e repetido por meio de estimulos com a apresentação de um reforço positivo (recompensa) ou negativo (supressão de algo desagradável), a frequência deste comportamento aumenta, exemplo: adestrar animais, colocar objetos nos buracos certos e ganhar ou perder prêmio. Jean Piaget (1896-1980) – desenvolvimento humano/genética, podendo variar de acordo com o indivíduo, ambiente e cultura.

• Estágio sensório-motor (do nascimento aos dois anos) - a criança desenvolve um conjunto de "esquemas de ação" sobre o objeto, que lhe permitem construir um conhecimento físico da realidade. Desenvolve o conceito de permanência do objeto, constrói esquemas sensório-motores e é capaz de fazer imitações, iniciando a construir representações mentais.

• Estágio pré-operatório (dos dois aos seis anos) - a criança inicia a construção da relação de causa e efeito, bem como das simbolizações. É a chamada idade dos porquês e do faz-de-conta.

• Estágio operatório-concreto (dos sete aos onze anos) - a criança começa a construir conceitos através de estruturas lógicas, consolida a observação de quantidade e constrói o conceito de número. Seu pensamento, apesar de lógico, ainda está centrado nos conceitos do mundo físico, onde abstrações lógico-matemáticas são simples.

• Estágio operatório-formal (dos onze aos dezesseis anos) - fase em que o adolescente constrói o pensamento proposicional, conseguindo ter em conta as hipóteses possíveis, os diferentes pontos de vista, e sendo capaz de pensar cientificamente. Lev Vygotsky (1896-1934) – a interação é ponto crucial e determinante, quanto mais ricas as interações, maior e mais sofisticado será o desenvolvimento.

• Postulam uma dialética das interações com o outro e com o meio, como desencadeador do desenvolvimento sócio-cognitivo. O desenvolvimento é impulsionado pela linguagem.

 • Um ponto central da teoria é o conceito de Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP), que afirma que a aprendizagem acontece no intervalo entre o conhecimento real e o conhecimento potencial. Em outras palavras, é a distância existente entre o que o sujeito já sabe e aquilo que ele tem potencialidade de aprender. Seria neste campo que a educação atuaria, estimulando a aquisição do potencial, partindo do conhecimento da ZDP do aprendiz, para assim intervir. Inteligência Espiritual (Cl 1.9-12):

• Howard Gardner – psicologia do desenvolvimento cognitivo e neurolinguistíca (habilidades: lógico-matemático; linguístico; musical; corporal-cinestésica; intrapessoal; interpessoal; naturalista, espacial e existencial).

 • Discernimento espiritual de Davi: Dom Divino - 1 Co 2.11-16; 1 Sm 16.18 (...o Senhor era com ele...); 1 Sm 13.14; 16.7; 17.26-37 (escolha de Davi, o que Deus vê, incircunciso Golias)

• Discernimento espiritual de Daniel: indo além das aparências com ousadia, receber graça, sabedoria e reconhecimento, afastando da idolatria (Daniel, Azarias, Misael e Hananias rejeitaram o manjar do rei, Dn 1.12-20)

• Discernimento espiritual de Paulo: Rm 11.33-36; 1 Co 2.16; At 16.9-18 (elogio de uma jovem $ com espírito de adivinhação, ela o reconhece como servo do Deus Altíssimo, ele expulsa em Nome de Jesus)

• Discernimento espiritual de Neemias: vivendo o problema (Ne 1), aprendendo com ele, avançando para o alvo

• Perseverar em oração e recebera o galardão – integridade, longanimidade, gozo, gratidão, maturidade, vendo o invisível e discernindo tudo: Cl 1.9-12; Tg 1.5-7; 3.17; Cl 1.9-12; Sl 15.1-5; 25.21; 119.7; Pv 11.3; 28.18; Ne 8.10; Gl 5.22; 1 Ts 5.16-19; Hb 12.28; Cl 1.10-12; Jo 4.24; Pv 20.27; Jo17.17; Sl 119.25,28,41,50,105,169


5. Marcas do Chamado (1 Ts 4.7; Rm 11.29; mt 28.18-20; Ap 20.4; Sl 37.23,24):

 • Pessoas bem-dispostas, fiel ao chamado e produtivas (que estas trabalham, nunca esperando acontecer): Eliseu, Elias, Samuel, Davi, Daniel, Abraão, Noé, Moisés, Josué, os Apóstolos, José, Gideão 
• Somos chamados da morte para a vida (Jo 5.24; 1 Jo 3.14), das trevas para a Luz de Deus (1 Pe 2.9), comissionado a ser sal da terra e luz do mundo (Mt 5.13,14), viver em santidade e justiça (Lc 1.75), ter comunhão com Cristo (1 Co 1.9), dar bons frutos e herdar vida eterna (Lc 18.30)

• Meios de comunicação de Deus: Palavra de Deus, sonhos, visões e seus emissários e tudo mais o que Lhe apraz

• Exercitar não somente a visão de líder, valorizar o relacionamento com Deus e com o outro (2 Tm 4.7) Resultados do Chamado (2 Tm 4.7,8; 1 Co 9.24-27): ALERTA Consistência – Persistência - Crescimento

• Incompreensão e perseguição: Jo 15.20; 17.14; Mc 10.29,30; 2 Co 4.16-5.2; Mt 24.12; 2 Tm 3.12; Ne 2.19,20

• Experiências com Deus, bênçãos e milagres: Gl 6.8,9 • Apoio, reconhecimento e prosperidade: 2 Rs 6.1-7

• Recebe um Ministério e um legado espiritual • Preparar para sofrer: Fp 3.8-14 • Promessas e desafios: Ap 2.7, 11, 17, 26-28; 3.5,21; desviar do mal (1 Pe 5.8; 1 Co 10,12,13; Ef 4.27; Tg 4.7); arrepender-se (Gl 5.19-21; 1 Jo 2.1); evitar queda (Sl 145.14; Lm 3.39; Ap 2.5)

• Visualizar vitória: Mt 28.20; 1 Co 15.57; Rm 8.31-19; 1 Jo 5.4; Sl 113.5-8


6. Questões da vida que temos que aprender a lidar (Jo 16.33 e Ec 9.23)

• Sofrimento (Rm 5.8)
• Receber não (ensina o que é autoridade e submissão)
• Lidar com frustações (Dt 3.22)
• Lidar com derrota (1 Sm 4; Js 7)
• Receber rejeições (Jo 11)
• Deparar com decepções

• Passar por perdas Serve para:
1º Aprender a depender de Deus
2º Canalizar para alguma coisa boa
3º Mostrar que outro pode realizar o que não podemos (Nm 27)
4º Analise o porque da derrota, aprenda com o erro para não errar mais
5º José foi rejeitado por seus irmãos (Família é lugar de acolhimento)
6º Aprender a perseverar, a tentar outra vez
7º Vivencie a perda, mas tente continuar, olhe seu alvo principal Fundamentos para a sobrevivência humana:

• Dor: pode ser sinal de que algo esta errado, que pode ser para mudar, transformar, etc..
• Medo: um sinal de alerta que pode proteger, nos manter alerta sobre pessoas, coisas, situações, projetos, etc..
• Tristeza: refletir sobre os acontecimentos, alguns acontecimentos nos faz valorizar outras coisas que estão a nossa volta, que passaram por despercebidos, ou pouco atenção, etc.. Dicas:
• Não super valorize as dificuldades, não se entregue a elas
• Aceite-as, reconhece-as para resolvê-las
• Olhe para as coisas, os desafios que estão por vir
• CREIA, ESPERE E LUTE EM JESUS CRISTO
• DEUS É FIEL e VOCÊ MAIS QUE VENCEDOR Por que o justo sofre? (Fp 3.10-12; Rm 8.28,32,37; Hb 12.12-15)
• Não pertence a este mundo
• Não é maior que seu Mestre
• Por causa de Cristo
• Sujeito às leis naturais
 • Para não se afastar de Deus
• Tornar-se filho de Deus (mente de Cristo)
• Todos enfrentam problemas: Ec 9.2,3
• Para nos ensinar: Jó 36.15 Sofrimento do justo ≠ do ímpio (Pv 8.11; Sl 34.7,15-19):
• O justo conta com o Espírito Santo para guiá-lo e consolá-lo o ímpio não
• Crente instável espiritualmente: vão a Igreja e fora dela praticam erros e vivem pedindo perdão sem arrependimento
• Crente voltado as formalidades e a aparência: cultuam de maneira santa e agradável ao Senhor, mas sem buscar a santidade – mostram ao homem e não a Deus
• Crente do tipo que usa a Igreja para marcar encontros, tratar de negócios e lançar moda


7. Adversidades e Tribulações na caminhada (Jo 16.33; 2 Co 4.8,9; 11.23-27, 2 Tm 3.11; Sl 34.19; 2 Co 4.8-12;Sl 4.1):

• Traz paciência, experiência e esperança; Rm 5.3-5; 2 Co 1.3,4; história de José (Gn 37-41)
• Produz peso de Glória: 2 Co 4.16-18; Mt 25.23; At 13.52
• Geram mudanças de atitude: Ne 1.4,7; Dn 9.3-8, 20,21
• Fortalece a caminhada: 2 Co 11.23-27; 12.7-10; Fp 4.12; Rm 8.31-35
• Ensina a ter bom ânimo: Pv 14.30
• Ensina a humildade que é o segredo da vitória: Pv 15.33; 29.23 QG Espiritual (Sl 37.23,24; 91.1-10; 121; Is 43.2,3; 59.19; Pv 24.16; 2 Co 4.16-18):
• Arrependido: Fp 4.12; 1 Co 10.13; Sl 62.12; 107.8-20; Pv 13.3; Jr 17.10; 2 Co 7.9
• Recolhido com coragem para dominar o medo: Dn 6.10
• Perplexo, mas não desanimado: 2 Co 4.8
• Surpreendido, atônitos, desprevenidos, geralmente traição de quem amamos ou não esperamos ou injustiças
• Encara problemas com fé: Jó 1.1, 8 ; 2.3 (desviar do mal e não de Deus); dificuldades sobre dificuldades (Jó 1.18-21; 1 Pe 4.12-16)
• Perseguido, mas não desamparado (2 Co 4.9; Mt 28.10 – Jesus Cristo não te deixa só); 2 Tm 3.11; Lc 21.12; Mt 5.10-12; Rm 8.35 (nada pode nos separar de Deus); países que perseguem cristãos
• Abatido, mas não destruído (Fp 4.12,13; 2 Co 4.8,9); crises financeiras, traição, lutas de vida, drogas, enganos, vícios (2 Co 1.3-7; 8-10) No Deserto, Deus Age (Dn 6.16-20; Sl 23.4; Ne 1.6,7):
• Crescimento e aperfeiçoamento espiritual: Sl 105 a 107; Hb 2.10; Ef 4.12; 1 Pe 1.10,11; 4.13
• Destruir o que quer nos derrotar: Dn 6.24; Sl 64.8; Sl 23.5
• Para conquistar maiores vitórias: Rm 8.22,23
• Operar milagres: Dn 6.22
• Para Glória de seu Nome por meio de nossa vitória: Dn 6.25-27
• Decisão, determinação para decidir: Sl 40.1,2; Hb 3.15; Lc 15.17-20 (fº pródigo)
• Deus não olha aparência: 1 Sm 16.11-13 (Davi é ungido rei quando apascentava ovelhas); 1 Sm 16.6,7 (Deus vê o coração); 1 Co 1.27 (Deus usa as fracas para confundir os fortes) Após o Deserto:
• Mais forte e confiante: Dn 6.23 (Cova dos leões); Mc 5.22-42 (fª de Jairo); Mc 9.20-27 (rapaz endemoninhado)
• Mais fé: Gl. 5.22; 1 Jo 5.5; Mt 17.20; Hb 10.38; 11.1-8,11,20,22,24; Nm 23.19,20
• Voltado para o futuro: Rm 8.18; 2 Co 4.16-18


8. Oração (Is 59.1; Sl 51.17; Tg 5.16):

REQUISITOS Fé Humildade Confissão Quebrantamento
• Reconhecimento da Soberania de Deus (2 Rs 19.15-18)
• Elementos: Rm 10.10; Mt 15.18; 12.35; 14.23; 26.75; Mc 1.35; Sl 51.17; 2 Rs 20.3b
• Pode mudar o propósito: Gn 18.23-33 (Abraão intercede por Ló em Sodoma e Gomorra); 2 Rs 20.1-6 (Ezequias ora com coração humilde, reconheceu a Soberania de Deus, que só ele poderia curá-lo); Gn 6.6 (criado o homem); Destruiria Nínive (Jn 3.10); ter ungido Saul (1 Sm 15.35)
• Como súplica: Fp 4.6; 2 Rs 20.5; Rm 8.26; 1 Sm 1.10,11 (Ana abençoada com Samuel); requer um “esvaziamento” completo de nosso coração, uma confissão profunda diante do Criador e uma ligação consistente com o trono da graça; um instrumento capaz de mudar o propósito
• Alcançando o propósito (aquilo que se busca alcançar quando se faz alguma coisa, aquilo que se propõe/decidiu): Ec 3.1-8


9. Qual o cristianismo que estamos vivendo? (At 11.26b);

Existem 3 pilares fundamentais para pratica da vida cristã:

• Jesus Cristo é o Único e Suficiente Salvador – Jo 3.16
• Cristianismo é uma transformação real, nova criatura, novos pensar, agir e sentir
• O Evangelho deve ser praticado/vivido (Mt 7.17-25; Fp 4.9; 1 Co 11.1 -escutar, aprender e praticar)Cristãos pela pratica de vida:

• Amar a Deus e ao irmão (1 Jo 4.21,22); pode haver discordância, mas não ira
• Frutos para bençoar outros e glorificar a Deus (Jo 15.5)
• Templo do espírito Santo (1 Co 6.19,20), quem te governa? TV, sociedade, futebol, etc.. (Pv 23.26) Jesus cristo pagou alto preço, a pratica deve ser não somente na igreja (isso é fácil), deve ser também fora da igreja (em todos os lugares)
• Tudo para a Glória de deus e não nossa (Jo 3.30; 1 Co 10.31; 2 Co 4.7; 10.17,18)
• Viver em função de Cristo (2 Co 5.14,15), se esforçar para um vida cristã, negar a si mesmo e falar de Deus (cova de leões)
• Prosperidade é bom, mas não é tudo, pois existe promessa além desse sistema de coisas, herança no céu (1 Pe 1.3,4)
• Expectativa de retorno de Jesus Cristo (Ap 2.10; 21.7; 22; Hb 12.14; Mt 24.12; Lc 21.34) Arrebatamento e Vida Futura (1 Co 15.51-58) Deveres do Cidadão Celestial:
• Obedecer às leis de Deus e dos homens: Mt 22,21; 2 Co 8.21; Rm 13,7; Pv 23.26
• Analisar-se antes para não ter obstrução no caminho: Rm 13.8; Mt 5.8,23-25; 15.19
• Produzir fruto: Gl 5.14,22; Jo 3.16; Rm 12.9
• Esquecer mágoas: 1 Co 11.28-30; Hb 12.15
• Pagar o mal com o bem: história de José (Gn 37-50); 2 Rs 20.3
• Cultuar a Deus profundamente com amor, louvor e adoração em todos os momentos, dentro e fora da Igreja: cantar com entendimento para edificar, proclamar, motivar, curar, restaurar a esperança perdida
• O culto deve priorizar a pregação, ensino, exortação (didático e pedagógico); glorificação (agradecimento); evangelização; serviço social (diaconal), dever apresentar o nosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus com louvor sincero.


10. O Poder da Decisão ATENÇÃO Pensamento com Clareza e Sensatez Sabedoria Prudência Moderação Temperança: Calebe aos 85 anos reivincida

• Decisão: Dn 1 (manjar do rei - Daniel/Beltessazar, Hananias/Sadraque, Misael/Mesaque, Azarias/Abede-Nego); é de caráter pessoal (Rm 14.12)

• As decisões que podem fracassar são baseadas: na opinião da maioria (Mt 5.37); em desejos momentâneos (Mt 26.41; Mc 14.38; Gl 5.16,17); em emoções e sentimento passageiros (Gl 5.24; Tg 1.8); por indecisão transfere para outros (Et 4.13,14); impensadas e arriscadas

• Não tome decisões precipitadas: Ec 9.18

• Podemos ouvir conselhos: Pv 11.14; 15.22

• Atitudes racionais e de coração (Dn 1.8; Fp 4.8); buscando o melhor, com fidelidade a seus princípios (fé) focando objetivos (Reino de Deus - Dn 6.1-10); ação concreta em rumo a formalizar a decisão (Dn 1.12-15 – não comer os manjares/semblantes mais saudáveis)

• Vontade de Deus e o livre-arbítrio: existem decisões que são Absolutas (nascimento de Jesus e sua Família), mas Ele não criou robôs; idolatria (Lv 17.7; 26.1); buscar santidade (Lv 20.7; Ef 4.24; 1 Ts 3.13; 1 Pe 1.15,16); dízimos e ofertas (Ml 3.8-11); casar/unir-se com alguém do mesmo jugo, somos separados/santificados, Deus tem preparado esta no meio do Seu povo (2 Co 6.14,15); divorcio por motivo leviano (Mt 19); amar o próximo (Lc 10.27; Mt 5.43-48)

• Buscar a orientação de Deus: 1Jo 5.14; Cl 3.15

• Implica em preço a pagar e recompensa em receber: Jesus preferiu padecer na cruz; Noé manteve-se íntegro e obedecer; Abraão obedeceu a Deus; Moisés aceitou ser guia; Jó não blasfemou a Deus; Davi não tocou no ungido de Deus; Daniel não se contaminou; (Dt 30.19; Lc 24.26; Hb 11.7, 8,24; Gn 12; Rm 4.16,17; Jó 1.21,22; 2.9,10; 42.10; Fp 2.9-11) Uma Pessoa Determinada:

• Família, a primeira agência socializadora (Js 24.15)
• Ensino pelos valores e modelos (Pv 22.6; hb 12.5-8)
• Pais, espelho para os filhos (1 Sm 2.27-36; 3.12-14; 4.11-22 – Eli e seus 2 filhos)
• Geração que teme ao Senhor (Pv. 9,1a, 10; Rm 1.28; 2 Tm 3.1-5,9)
• Caráter e são determinação ingredientes indispensáveis para o sucesso (Dn 6.3,4; Dt 28.1)
• Não se contamina com os manjares do mundo (Dn 1.8-13)
• Não é influenciada pelos padrões mundanos (Tg 1.14,15; 2 Pe 2.19; Ap 2.5; 3.11; 1 Co 6.12 – coisas são lícitas, mas...; Rm 12.2; 1 Jo 2.15-17; 1 Ts 4.3; 1 Pe 4.2; Fp 2.15,16; Ef 4.22-32; 1 Co 7.10,11; 2 Tm 3.1-9; Rm 5.20; 2 Tm 4.7,8) • Escolha muito bem as amizades (Sl 1.1-3; Tg 4.4; 1 Co 15.33; Pv 13.20; 10.14; 13.16; 16.20; 12.18; 15.2,7; 1.7; 9.10)
• Tem uma real perspectiva de vida (Dn 2.19,28,30; 5.17-23)
• Tem responsabilidades por suas decisões (Pv 4.23)
• Reconhece hora de agir (Dn 1.9; Hb 11.6) Aprendizado:
• Conquistar vitórias é vencer cada etapa do processo (Jr 29.11)
• Conquista é diária
• Vitória é construída com muito esforço, dedicação e trabalho
• Deus permite algumas coisas para crescermos, sermos gratos e abençoados
• Realizar projetos por etapas; organize-se, estabeleça prioridades, planeja ações, e as execute com a permissão e orientação de Deus (Hb 11.24-27)
• Depender de Deus
• Praticar os ensinamentos de Cristo e a ser Seu imitador
• Ser cheio do Espírito Santo, produzir frutos e buscar os dons espirituais e ministeriais
• Parar, analisar, preciso chorar, lamentare, orar, jejuar, meditar na Palavra, ouvir a voz de Deus, sentar para pensar, pensar para prosseguir, planejar e executar tudo com muita humildade, fidelidade e sinceridade (Sl 19.13)
• Ter destaque (Dn 1.19,20; Dt 28.13)
• Ser reconhecido e alcançar uma posição (Dn 2.9, 15-49)
• Ser um instrumento para Deus se revelar a outros (Dn 2.47; Ap 2.23)
• Cumpri os propósitos eternos de Deus (Mt 25.23)
• Receber uma herança incorruptível (1 Jo 3.2; Sl 51.10,12a) Tenha um novo rumo de vida:
• Somente Deus tem o poder de melhorar a nossa vida (Jo 2.1-11, água em vinho num casamento – a água representa a purificação pela Palavra e o vinho, a alegria do Espírito Santo que só possui quem é casado/noiva)
• Tenha uma vida abundante: Jo 10.10 Verdadeiro Cristão (Fp 4.4; At 16.25):
• Tem uma vida abundante, cheia de alegria, paz, esperança, prazer, dando Glória em tudo, pois Jesus cristo habita nele.
• Não sucumbe ante as circunstâncias, mas coopera para as mudanças. Pode ficar triste, mas continua em frente, pois Deus é com ele.
• Não encara a adversidade, tribulação, luta como castigo ou maldição hereditária, mas uma oportunidade que Deus concede para crescimento espiritual, pois ele é o templo do Espírito Santo.
• Sabe que Deus esta com ele, e ninguém irá destruí-lo ou impedi-lo de que as promessas de Deus se cumpram em sua vida, pois Deus vela pelo cumprimento da sua Palavra


11. Bibliografia:

ALMEIDA, João Ferreira. Bíblia Sagrada. Versão revista e corrigida, 2006.
SBB BRANDÂO, Gerson. Estudando o livro de atos. Rio de Janeiro, 2006
CAITANO, Joá. Como enfrentar as batalhas espirituais. Rio de Janeiro, 2008
CHAIJ, Enrique. Ainda existe esperança. A solução para os problemas da vida. SP, 2010
FÁBIO, Caio. Você tem valor. Rio de Janeiro, 2005
FONSECA, Mônica Areia. O poder da oração e suas influências. Rio de Janeiro, 2009.
GRAHAM, Billy. Viver em Cristo. Revell/EUA, 1955
GOMES, Geziel. A carta aos Efésios. Rio de Janeiro, 2009
HAGIN, Kenneth E.. O que fazer quando a fé parece fraca e a vitória perdida. RJ, 2002
LIMA, Laudelina Souza. Quando o milagre não acontece. O que fazer? RJ, 2007
LINHARES, Jorge. Viagem a dois. Belo Horizonte/MG, 2008
LINO, Adelino de Carvalho. Você merece ser feliz. Rio de Janeiro, 2008
LUTERANA, Hora. Como vencer a solidão – os dois lados da moeda. São Paulo, 2006
MACEDO, Edir. A fé verdadeira. Rio de Janeiro, 2011
MALAFAIA, Silas. A receita de Neemias para uma vida vitoriosa (2012). Você precisa ser determinado (2009); O Deus que supre (2010). Aprendendo para crescer (2008). Aprendendo com Jesus (2010). A importância de ser cheio do Espírito Santo (2009). As marcas dos chamados por Deus (2012). A Trajetória da vida do cristão (2008). Como Deus trata os nossos problemas (2012). Vencendo as calamidades (2011). Guerra espiritual (2002). Para que você não seja derrotado (2008). Como vencer as estratégias de satanás (2008). Quer ser vitorioso? Prepare-se para a oposição (2008). O avivamento que precisamos hoje (2003). Inteligência emocional (2010). Transformando adversidades em bênçãos (2010). Limites do sofrimento (2010). Orar pode mudar tudo (2003). O poder da decisão (2012). Rio de Janeiro, Editora Central Gospel
MURDOCK, MIKE. As chaves da sabedoria. Texas/EUA, 2006
RADMACHER, Earl D. e outros. O Novo Comentário Bíblico do Antigo Testamento; O Novo Comentário Bíblico do Novo Testamento. Ambos do ano de 2009
SOARES, R.R.. A sua saúde depende do que você fala. Rio de Janeiro, 2004 “Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus a para lá não tornam, mas regam a terra e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.” Isaías 55.10,11

          Somos chamados por Deus para transmitir uma palavra de ânimo, exortação ou motivação a todos para continuar lutando pela vitória. Temos por finalidade levantar, despertar e confrontar o povo de Deus – encarando desafios e recebendo galardão. (Ef 4.11 e Sl 34.19) Somente a informação pode levar ao conhecimento concretizado em experiências para um transformar real no homem no meio a sua volta. (Oséias 4.6) Esta é uma singela pesquisa, feita com dedicação e amor cristão. Visa esta, informar sobre a Palavra de Deus, pois na vida tudo tem um preço, como; vitórias, lutas, adversidades, derrotas, incompreensão, inveja, frustações etc., mas nada se comparara ao preço de conhecer e ter intimidade com Deus. (Js 1.5) Desejo que este, de alguma forma possa ajudar você a se aproximar do Reino Celestial.
 
Obrigada Senhor de minha alma, por mais este humilde trabalho. Ano Junho/Julho 2012

Google+ Followers

Postagens populares