terça-feira, 17 de setembro de 2013

O Evangelho para os Gentios!

O Evangelho sendo Pregado aos Gentios – Atos 11


Jesus havia ordenado que o evangelho deveria ser pregado  primeiro somente aos judeus, para conversão dos eleitos de Deus entre eles, aos quais Ele chamou de “ovelhas perdidas da casa de Israel” (Mt 10.6; 15.24), porque Deus desejava lhes dar o privilégio de pregarem o evangelho em todo o mundo, mas como o estavam rejeitando, a porta para os gentios foi aberta com a ida de Pedro à casa do centurião romano Cornélio.   
Não foi por acaso que aprouve à Providência que Pedro fosse à casa do centurião acompanhado de seis outros cristãos judeus, como vemos no 12º versículo deste 11º capítulo de Atos 11, a Cesareia, onde Cornélio residia, para que fossem testemunhas de que os gentios haviam recebido o Espírito Santo tal como os cristãos judeus.
As barreiras de separação, impostas pela Lei de Moisés, estavam começando a serem derrubadas pelo Senhor, para que as ovelhas que Ele havia dito possuir em outro aprisco (de todas as demais nações, e que não eram israelitas), fossem também reunidas no mesmo rebanho que Lhe pertence.
E para aproximar e estreitar os laços entre cristãos judeus e gentios, o Senhor traria uma grande fome à terra, que atingiria especialmente o território dos judeus, de maneira que estes fossem socorridos materialmente pelos cristãos gentios, o que fizeram pelas supervisão de Paulo e Barnabé, que estavam servindo aos gentios na Igreja de Antioquia da Síria; Igreja para a qual Paulo foi conduzido por Barnabé, depois de ter sabido que a Palavra estava sendo pregada também aos gentios, desde que Pedro havia ido à casa de Cornélio pelo mandado do Senhor, e que foi grande o número de conversões naquela cidade da  Síria.  
É dito no verso 19 que os cristãos que haviam sido dispersos em razão da perseguição havida desde o martírio de Estevão, pregavam somente aos judeus, indo desde a Fenícia, até a Ilha de Chipre, e Antioquia.
Mas, como havia entre eles alguns convertidos de Chipre e de Cirene, estes pregaram também aos gregos, e houve um grande número de conversões ao Senhor (v. 20,21).
Foi portanto desta forma que o evangelho foi pregado pela primeira vez aos gentios, e dali por diante não haveria mais como ser negada a palavra àqueles que não fossem israelitas, porque eram notáveis as transformações de vidas operadas pelo Espírito Santo naqueles que não eram judeus, e que se convertiam ao Senhor.
Até mesmo os cristãos judeus de Jerusalém tiveram suas resistências quebradas quanto a irem também aos gentios, porque foram convencidos pelo Senhor, através do relato de Pedro a eles, quando retornou a Jerusalém, das coisas que Deus havia feito na casa de Cornélio, como um indicativo claro de que eles não deveriam pregar agora somente aos judeus, mas também aos gentios.   
Muitos pagãos seriam também purificados pela regeneração e santificação do Espírito Santo, sendo desviados de suas abominações e idolatrias, e deste modo, nenhum judeu deveria mais considerá-los impuros e imundos, segundo a Lei, porque o Senhor não estava fazendo nenhuma distinção entre os gentios que se convertiam e os cristãos judeus. 
Quando Barnabé foi enviado pela Igreja de Jerusalém a Antioquia, para ajudar a confirmar a fé dos discípulos, ele se alegrou sobremaneira porque viu que de fato a graça de Deus se achava naquela igreja, e assim exortava a todos os cristãos a perseverarem no Senhor com firmeza de coração, porque a carne, o diabo e o mundo trabalham incansavelmente para tentarem desviar o cristão da fé; e sendo Barnabé um homem, reto, cheio do Espírito Santo e de fé, era um bom exemplo para eles quanto ao modo de como deveriam se manter firmes no Senhor.  
A sua chegada em Antioquia fez com que muita gente se unisse ao Senhor, e sendo grande o trabalho para dar assistência a todos aqueles novos convertidos, e para lhes instruir na verdade, Barnabé decidiu ir à cidade de Tarso, em busca de Paulo, para ajudá-lo na obra que deveria ser feita em Antioquia; e permaneceram com eles por todo um ano, instruindo muita gente, e tal era a identificação daqueles cristãos com o Senhor, que pela primeira vez os discípulos passaram a ser chamados de cristãos naquela Igreja.   
     
“1 Ora, ouviram os apóstolos e os irmãos que estavam na Judeia que também os gentios haviam recebido a palavra de Deus.
2 E quando Pedro subiu a Jerusalém, disputavam com ele os que eram da circuncisão,
3 dizendo: Entraste em casa de homens incircuncisos e comeste com eles.
4 Pedro, porém, começou a fazer-lhes uma exposição por ordem, dizendo:
5 Estava eu orando na cidade de Jope, e em êxtase tive uma visão; descia um objeto, como se fosse um grande lençol, sendo baixado do céu pelas quatro pontas, e chegou perto de mim.
6 E, fitando nele os olhos, o contemplava, e vi quadrúpedes da terra, feras, répteis e aves do céu.
7 Ouvi também uma voz que me dizia: Levanta-te, Pedro, mata e come.
8 Mas eu respondi: De modo nenhum, Senhor, pois nunca em minha boca entrou coisa alguma comum e imunda.
9 Mas a voz respondeu-me do céu segunda vez: Não chames tu comum ao que Deus purificou.
10 Sucedeu isto por três vezes; e tudo tornou a recolher-se ao céu.
11 E eis que, nesse momento, pararam em frente à casa onde estávamos três homens que me foram enviados de Cesareia.
12 Disse-me o Espírito que eu fosse com eles, sem hesitar; e também estes seis irmãos foram comigo e entramos na casa daquele homem.
13 E ele nos contou como vira em pé em sua casa o anjo, que lhe dissera: Envia a Jope e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro,
14 o qual te dirá palavras pelas quais serás salvo, tu e toda a tua casa.
15 Logo que eu comecei a falar, desceu sobre eles o Espírito Santo, como também sobre nós no princípio.
16 Lembrei-me então da palavra do Senhor, como disse: João, na verdade, batizou com água; mas vós sereis batizados no Espírito Santo.
17 Portanto, se Deus lhes deu o mesmo dom que dera também a nós, ao crermos no Senhor Jesus Cristo, quem era eu, para que pudesse resistir a Deus?
18 Ouvindo eles estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Assim, pois, Deus concedeu também aos gentios o arrependimento para a vida.
19 Aqueles, pois, que foram dispersos pela tribulação suscitada por causa de Estêvão, passaram até a Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus.
20 Havia, porém, entre eles alguns cíprios e cirenenses, os quais, entrando em Antioquia, falaram também aos gregos, anunciando o Senhor Jesus.
21 E a mão do Senhor era com eles, e grande número creu e se converteu ao Senhor.
22 Chegou a notícia destas coisas aos ouvidos da igreja em Jerusalém; e enviaram Barnabé a Antioquia;
23 o qual, quando chegou e viu a graça de Deus, se alegrou, e exortava a todos a perseverarem no Senhor com firmeza de coração;
24 porque era homem de bem, e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor.
25 Partiu, pois, Barnabé para Tarso, em busca de Saulo;
26 e tendo-o achado, o levou para Antioquia. E durante um ano inteiro reuniram-se naquela igreja e instruíram muita gente; e em Antioquia os discípulos pela primeira vez foram chamados cristãos.
27 Naqueles dias desceram profetas de Jerusalém para Antioquia;
28 e levantando-se um deles, de nome Ágabo, dava a entender pelo Espírito, que haveria uma grande fome por todo o mundo, a qual ocorreu no tempo de Cláudio.
29 E os discípulos resolveram mandar, cada um conforme suas posses, socorro aos irmãos que habitavam na Judeia;
30 o que eles com efeito fizeram, enviando-o aos anciãos por mão de Barnabé e Saulo.” (Atos 11.1-30)


Google+ Followers

Postagens populares