terça-feira, 17 de setembro de 2013

Apóstolo Paulo - Apóstolo dos Gentios



Texto base: Romanos 1:18-32
 
          A carta de Romanos tinha como uma das intenções pedir suporte missionário para igreja de Roma. Então, Paulo lança a base de seu pedido: os gentios estão perdidos, não glorificam a Deus e precisam ouvir do Evangelho.
 
Iremos ver três pontos:
 
1)      Como Deus se revelou aos gentios
2)      Como os gentios rejeitaram essa revelação
3)      Como Deus respondeu a essa rejeição

Como Deus se revelou aos gentios (Rm 1.18-20)

          A humanidade tem se mostrada ímpia e perversa tanto com Deus, como com o próximo e por isso os céus (que revelam a existência de Deus) estão mostrando a ira de Deus. Os homens sufocaram (afogaram) a verdade da revelação que Deus deu de si mesmo na natureza. O Deus invisível se manifesta (se mostra visível) através da natureza. Essa revelação mostra os atributos invisíveis de Deus (eternidade, poder e divindade) e, olhando para tal, a humanidade deveria reconhecer que aquele que criou este mundo é poderoso, divino e transcendental.
 
          Por isso, os gentios não tem recurso de defesa diante de Deus. Eles são indesculpáveis. Mesmo sem nunca ter ouvido o Evangelho, por causa da revelação na natureza, pela qual a humanidade deveria reconhecer a existência do poderoso Deus, todo ser humano não tem desculpas. Devemos abandonar o mito do indígena inocente. O ser humano rejeitou a verdade de Deus revelada na natureza e por isso são indesculpáveis (Rm 1:18-20). É por que Paulo afirma neste trecho e é por isso que ele precisa pregar para os pagãos.
 
          Precisamos entender que as pessoas que nunca ouviram do Evangelho (1) não são inocentes, mas pecadoras e estão privando o Soberano Deus da glória que Lhe é devida e (2) irão sofrer a ira de Deus se não se arrependerem e crerem no Evangelho; por isso, precisamos fazer missões.

Como os gentios rejeitaram essa revelação (Rm 1.20-23)

O processo pelo qual a humanidade sufocou o conhecimento de Deus:
 
Primeiro: Ninguém nasce ateu (por causa da imagem e semelhança do homem, ao qual o pecado amarrotou, mas não destruiu). A semente do conhecimento de Deus está na consciência de cada um e brilhando na natureza ao redor.
 
Segundo: Sabendo que Deus merece toda glória, eles rejeitaram isso. Eles rejeitaram a glorificação do Deus que é distinto da natureza e a gratidão que Lhe é devida, pois tudo procede dele. O processo culmina na imoralidade, mas começa na mente – na rejeição de Deus em suas mentes – é o raciocínio sem Deus, um raciocínio nulo. A nulidade do raciocínio que o raciocínio desassistido por Deus gera incapaz de nos levar à verdade. Depois da mente, é o coração (o centro das afeições e vontades) o próximo a ser afetado. Então, afeta a consciência e, após, a religião (adorando a criatura e não o criador).

Como Deus respondeu a essa rejeição Rm 1.23-32

          Deus entrega os gentios a si mesmos. Não foi derramar fogo e enxofre como Sodoma. Mas algo pior. Deus diz ao pecador: “é isso que você quer? Seja feito a sua vontade”. A ira de Deus nesta passagem consiste em entregar os pecadores às suas próprias paixões.
 
Processo de endurecimento: Mente > Coração > Idolatria > Imoralidade
 
Neste texto, podemos também ver que a justiça retributiva de Deus é proporcional ao pecado:
 
          Desonraram a Deus à Deus os entregou para desonrarem entre si. Mudaram a verdade de Deus em mentira à Deus os entregou para a mentira da homossexualidade. Não aprovaram o conhecimento a Deus à Deus os entregou a uma disposição mental reprovável.
 
          O quadro bíblico do homem pecador não é de uma pessoa boa e inocente, mas que não conhece o Evangelho, mas de rebeldes ativos contra o conhecimento de Deus e que aprovam quem praticam a imoralidade. Não existe a tal “religião errada, mas sincera”. O desconhecimento do Evangelho não salva, nem torna a pessoa desculpável.
 
          A justiça de Deus se revela no Evangelho, mas a ira de Deus se revela nos céus. Por isso que precisamos pregar o Evangelho. As pessoas que não se importam com missões enxergam os homens como árvores andando – não entendemos o estado real e terrível ao qual eles se encontram.
 
Paulo tem amor pelo perdido, mas o que move Paulo é que Deus não tem recebido a glória entre os pagãos. É isso que o move e o incomoda. Isso o incomoda?

Por Augustus Nicodemus | tempora-mores.blogspot.com
Resumo por voltemosaoevangelho.com

Google+ Followers

Postagens populares