terça-feira, 15 de outubro de 2013

Desmascarando a Confissão Positiva!

Browse > Home / / / A doutrina da Confissão positiva

A doutrina da Confissão positiva

2 comentários
O que é Confissão positiva?
Para satisfação de alguns e espantos da maioria, esse movimento tem se alastrado no meio evangélico brasileiro desde a última década do século passado. É conhecido por vários nomes: Teologia da prosperidade, Evangelho da saúde, Palavra da fé ou Movimento da fé.
Essa corrente doutrinária ensina que qualquer sofrimento indica falta de fé. Assim, a marca do cristão cheio de fé e bem-sucedido é a plena saúde física, emocional e espiritual, além de prosperidade material.

As origens
Esse movimento nasceu numa antiga heresia conhecida como gnosticismo. Essa palavra vem do grego=gnosis, e significa “conhecimento”. Tal heresia data dos séculos I e II da era cristã, e ensinava que havia uma verdade especial, mais elevada, acessível somente aos iluminados por Deus. Os gnósticos acreditavam que há na natureza humana o princípio do dualismo: o espírito e o corpo – duas entidades separadas – são opostos. Para eles, o pecado habitava somente na carne.
 
Muitas pessoas desse movimento consideram Kennth Hagin o pai desse ensino, no entanto quando se investiga o desenvolvimento histórico do movimento, chega-se a conclusão de que o verdadeiro pai da Confissão Positiva é Essek Willian Kenyon.
 
Hagin é considerado o porta-voz da Confissão Positiva. Duas experiências afetariam sua vida e seu ministério. Hagin, afirma ter sido levado ao inferno, onde viu e sentiu coisas que o deixaram perplexo, tais como trevas que o impediam de enxergar até mesmo sua mão a uma distância de três centímetros dos seus olhos e um calor que, quanto mais ele descia, mais forte ficava. Hagin desceria outras duas vezes “ao inferno” para ali contemplar horrores, sendo assim levado a tomar uma decisão quanto sua vida espiritual. Depois da terceira visita ao inferno, Hagin aceitou a Cristo como seu Salvador.
 
A segunda experiência veio por meio da leitura do evangelho de Marcos 11.23-24:
...em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele. Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco.
 
A partir de então Hagin começou seu ministério como jovem pregador. As visões tornaram-se parte importante de seu ministério, muitas das vezes, mais importante que a Palavra de Deus. Em 1952, Hagin afirma que Jesus Cristo apareceu à ele e disse, por mais de 1 hora, sobre o diabo, demônios e possessão demoníaca. Resolveu então ministrar ensinamentos a cerca de maldição hereditárias, cura interior, libertação, quebra de maldições, etc.
 
O ministério de Hagin é hoje um dos maiores do mundo e sua influência tem se espalhado por muitas partes do globo.
 
Os adeptos desse movimento
Além de Kenyon e Hagin, outros nomes se destacam nesse movimento:
Ken Hagin Jr, T.L Osborn, Fred Price, John Osteen, Marilyn Hichey, Benny Hinn, Jorge Tadeu, Valnice Milhomens, Rene Terra Nova, RR Soares e entre outros.

No Brasil
O movimento da fé tem encontrado formidável acolhida no Brasil. Algumas igrejas já foram estabelecidas em diferentes lugares. Diversos líderes, igrejas e organizações estão aderindo aos ensinos da Confissão Positiva sem fazer uma avaliação bíblica adequada e rigorosa.

E a Bíblia onde fica?
Eu poderia, muito bem, enfatizar uma série de trechos bíblicos acerca dos ensinamentos heréticos da Confissão Positiva, no entanto gostaria de citar apenas um trecho:
Santificai-vos na verdade; a tua palavra (Deus) é a verdade. Jesus Cristo (João 17.17)
Apenas enfatizando, não pretendo julgar homem nenhum e sim esclarecer, a luz da Palavra, o que é certo e errado. Cabe a você examinar tudo e reter o bem.
Pr Elder Sacal Cunha

Bibliografia: Super Crentes, Paulo Romeiro

Google+ Followers

Postagens populares