terça-feira, 15 de outubro de 2013

O Jejum na Bíblia: Desmascarando o Falso Jejum!

Browse > Home / / O Jejum na Bíblia

O Jejum na Bíblia

2 comentários

Caros leitores,
Tendo observado as mais variadas esquizitices e práticas nada biblicas, quanto a questão do Jejum, resolvi postar esse artigo.

De fato, há de se concordar que o Jejum caiu em descrédito e desuso de uma forma geral. Quanto aos adeptos, infelizmente, grande parte se baseam em textos nada biblicos;  forçam a prática de tal disciplina; e visam, exclusivamente, alcançar  a resolução de um problema, de uma crise, de uma vitória,  de revestimento de poder, etc... Valem-se todas as maneiras  para alcançar o resultado, não importando os meios. (pragmatismo e neognosticismo)

Vamos nos atentar, em primeiro, lugar que nas Escrituras o jejum sempre se refere à abstenção de comida por motivos espirituais. É distindo de greve de fome e distinto da dieta por motivo de saúde.  O jejum na Bíblia, SEMPRE, tem no centro algum propósito espiritual.

Na Bíblia, nossa única regra de fé e prática, a maneira normal de jejuar é abster-se de todo o tipo de comida por 24 horas, sólida ou líquida, mas não de água. No jejum de 40 dias que Jesus fez, Ele nada comeu de comida, mas bebeu água (Lc 4.2). Do ponto de vista físico, é isso que em geral constitui o jejum.

A Bíblia, também descreve, as vezes, o jejum parcial, ou seja, a dieta é restrita, mas a abstenção não é completa. Em Daniel, houve um período de 3 semanas no qual ele declara: "Não comi nada saboroso: carne e vinho nem provei e não usei nenhuma essência aromática (Dn 10.3). Não sabemos a causa desse jejum.

Há outros exemplos na Bíblia de jejum, temos o jejum absoluto, ou seja, total abstenção de comida e água. Parece ser uma medida DESESPERADA para sanar uma emergência. Exemplo: o Jejum de ESTER (Ester 4.16); PAULO  (Atos 9.9). Vale lembrar que o corpo humano não aguanta ficar, sem água, muito mais que 03 dias.

Na maioria das vezes o jejum é particular (ocorre entre indivíduo e DEUS), mas há jejuns comunitários (Lv.23.27; Joel 2.15,16; 2 Cro 20.1-4). Esse jejum (coletivo) pode ser uma experiência maravilhosa e poderosa, desde que TODOS estejam preparados e tenham o mesmo pensamento nessa questão. É possível, por meio da oração e do jejum feitos por um grupo, resolver grandes problemas na igreja ou em outros grupos, além de restabelecer relacionamentos.

Jejum não é um mandamento, porém Jesus ensina que o jejum está imerso no contexto do ensino sobre doações e oração. OU seja, orar, ser generoso e jejuar fazem parte da devoção cristã. Assim, não teriamos como excluir o jejum dos ensinamentos de Jesus.

Jesus, também, afirma: "Quando jejuarem.." (mt 6.16). Ele parece pressupor que seus seguidores jejujem, por isso os instrui a faze-lo corretamente.
Martinho Lutero afirma: "Cristo não tinha a intenção de rejeitar nem de desprezar o jejum, sua intenção era restaurar o jejum correto"

As palavras de Jesus não constitui uma ordem, Ele instrui seus discipulos sobre a maneira apropriada de levar a efeito uma prática comum em seus dias. Jesus não espera que seus seguidores jejuem, mas Jesus entende que essa prática dev ser comum entre seus seguidores.

Eu acredito e tenho pregado que estamos vivendo e nos acostumamos  com uma GRAÇA BARATA, ou seja,  GRAÇA sem discipulado, sem discplinas espirituais.
O propósito do jejum não é para uso próprio, ou seja, conseguir que DEUS FAÇA aquilo que desejamos. O jejum não foca as bençãos, e tão pouco faz que DEUS venha comer em nossas mãos;  ou que  se sinta obrigado a nos prestar favor. Não é isso! O jejum deve possuir como centro DEUS.  veja ANA adorava jejuando (Lc 2.37). O jejum precisa começar em DEus, ser ordenado por DEUS e terminar em Deus.
Se o jejum não for para DEUS, PRIMEIRAMENTE, então fracassamos (Zc 7.5). Beneficios fisicos, sucesso, revestimento de poder, percepções espirituais - essas coisas jamais devem tomar o lugar de DEUS como o centro de nosso jejum. O jejuar deve ser feito para o SENHOR com os olhos fixos NELE - Glorificar o PAI.

Assim que o propósito principal do jejum estiver estabelecido no coração, ficamos livres para compreender que também há outros propósitos. Mais que qualquer outra disciplina, o jejum REVELA AS COISAS que nos controlam. Esse é o beneficio do JEJUM. Acobertamos o que vai dentro de nós com comida e outras coisas boas, mas o jejum traz a tona o que há em nosso interior. Se o orgulho nos controla (Salmos 69.10); raiva, amargura, inveja, medo - tudo que é negativo será trazido a superficie durante o jejum correto.

O JEJUM NOS LEMBRA DE QUE SOMOS SUSTENTADOS POR TODA PALAVRA QUE PROCEDE DE DEUS. (MT 4.4). A comida não nos sustenta, DEUS nos sustenta. Em Cristo tudo subsiste (Col 1.17). O JEJUM É MAIS UM BANQUETE COM  A PALAVRA DE DEUS QUE A  ABSTINENCIA DE COMIDA. JEJUAR E BANQUETEAR-SE! Jesus disse:" A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou (João 4.32,34)"

O JEJUM ROMPE LIMITES NA ESFERA ESPIRITUAL . CURTA ESSE PERÍODO E SAIBA QUE JEJUAMOS PARA DEUS MUDAR NOSSO CARÁTER E NOS REVISTIR DO SEU CARÁTER, não jejuamos para mudar sentenças, coisas, situações...JEJUAMOS PARA DEUS NOS MUDAR! 

Por Elder Cunha
Bibliografia:
- Bíblia Sagrada; 
- FOSTER, R. Celebração da disciplina  - 2ª ed - São Paulo: Editora Vida, 2007.
 

Google+ Followers

Postagens populares