terça-feira, 13 de agosto de 2013

A Amada de Cantares: não viveu à sombra do marido e nem se tornou invisível

 
 
Uma mulher apaixonada.
 
          Onde há uma combinação mais explosiva de idealismo com coisas terrenas? Em Cantares de Salomão, encontramos uma mulher apaixonada que sabe que também é amada. Ela nunca é identificada pelo nome. Podemos supor que é uma personagem fictícia ou um símbolo – se não fosse pelo facto do rei Salomão ter sido identificado como seu visitante. O total anonimato dessa mulher faz dela alguém com quem todas nós podemos nos identificar. Vamos chamá-la de “amada” porque, no poema, ela é sempre vista assim em relação ao seu amado.
 
          A amada diz que sua pele está queimada pelo trabalho debaixo do sol, mas as únicas descrições físicas que temos dela são generosamente exageradas. Então, temos de focalizar onde realmente interessa: seu carácter. Precisamos conhecer sua identidade interior. Por todo o poema, a amada está com toda a sua atenção voltada para o amado. Ela pensa nele e fala dele constantemente, o idealiza e louva cada uma de suas características com linguagem extravagante. Ela aprecia totalmente sua atenção e encontra forças no amor dele. Mas ela não nos transmite a impressão de que vive encolhida sob a sombra de seu marido nem que vai se tornar invisível.
 
          Não é uma violeta trêmula e indefesa se retraída. Tem uma forte percepção de si mesma. Faz planos para a vida que ela e seu marido irão compartilhar. Sabe que é a parceira sexual de que ele precisa e quer. Não tem vergonha de expressar seu desejo por ele (7.12). A amada insiste que seu amado é seu, mas não é excessivamente possessiva. Gosta da apreciação sadia de suas amigas por ele e deseja um compromisso de vida com o amado através de um amor que é mais forte que a morte. A mulher de Cantares já seria um exemplo poderoso, mesmo se fosse apenas uma personagem de um antigo poema de amor. Mas alguns cristãos, durante séculos, têm interpretado Cantares de Salomão como uma alegoria entre Cristo e seu povo. Neste caso nós somos a amada! Ela simboliza todos os crentes, não apenas as mulheres.
 
           A alegoria é apropriada. O amor de Cristo deveria dar energia e confiança para você ser a pessoa que Ele criou para ser. Deveria dar-lhe sua total atenção e louvar tudo o que diz respeito a Ele e levar outros a conhecê-lo, em vez de ser exclusivista. Cristo se compromete de forma eterna, e você, também, pode responder com um compromisso que vai durar por toda a eternidade. A amada ainda continua sendo um exemplo para você. Mostra o amor terreno que pode dar ao seu marido – mas também o amor comprometido que pode dedicar a Jesus Cristo.

Google+ Followers

Postagens populares