terça-feira, 13 de agosto de 2013

A Mulher Sunamita: Piedosa, Bondosa e Hospitaleira



A Mulher Sunamita - Piedosa, Bondosa e Hospitaleira
 
 

"Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu" (Heb 10:23).
 

"Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação: Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus" (2Co 1:3-4).
 
 
 
 

         Vamos, hoje, conhecer uma mulher cujo nome não sabemos. A Bíblia nos diz que ela morava em Suném e era uma mulher importante. Para Deus, ela não só era importante mas era uma mulher de coração dócil e sensível. Ao ver que Eliseu, o profeta de Deus, passava sempre por sua cidade, ela abriu as portas de sua casa e seu coração para acolhê-lo. Esta sua atitude mostrou o quanto ela amava e era sensível aos que estavam precisando dela, o quanto ela era hospitaleira, qualidade difícil de se encontrar, hoje em dia. Esta mulher, conhecida como Sunamita, tem, com certeza, o seu nome na lista de mulheres hospitaleiras. E você, irmã, quer ter este mesmo espírito hospitaleiro da Sunamita? O mesmo espírito hospitaleiro de Marta e Maria, que hospedaram Jesus e os apóstolos? O mesmo espírito hospitaleiro da viúva de Sarepta que ofereceu a última porção de comida que tinha ao profeta Elias? Então, peça ao Senhor para transformá-la numa mulher cujo espírito seja sensível às necessidades do próximo. Eu e você temos que querer esta transformação, temos que querer ter o coração aberto, que goste de ajudar aqueles que estão precisando de nós, temos que querer ser aquela mulher que percebe e é sensível às necessidades das pessoas.

Devemos querer ser uma mulher segundo o coração de Deus...

1- que tem a alma aberta às necessidades daqueles que o Senhor coloca diante dela;
2- que enxerga, de longe, os que estão precisando dela;
3- que ajuda com docilidade, amabilidade aqueles que estão necessitando dela;
4- que mesmo tendo pouco, não mede esforços em dividir o que tem com aqueles que estão precisando dela;
5- que está sempre pronta para ajudar o seu próximo;
6- que sempre tem força e coragem para ajudar os necessitados.

          Estes e tantos outros atributos faziam parte da vida desta mulher Sunamita, que era um exemplo de hospitalidade, de bondade, de coração piedoso e contente. Irmã, se Jesus deixou a Sua glória para se tornar homem e servir, lavando os pés daqueles que Ele mesmo criou, os apóstolos, por que eu não posso deixar o meu conforto e me dispor a ajudar as pessoas que estão precisando de mim? Se a viúva de Sarepta deixou de lado o seu egoísmo e dividiu com o Elias, o profeta do Senhor, o pouco que tinha de farinha e de azeite, por que eu não posso também dividir com quem está precisando a porção que o Senhor me dá, a cada dia? Se Abraão preparou uma refeição tão suntuosa e ofereceu a três estranhos (Gên 18) que foram até a sua casa, por que eu não posso oferecer um almoço a um pastor ou missionário que está visitando a minha igreja?

           A Bíblia me diz que devo orar não só por mim mas também por você a fim de que "... possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-Lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus" (Col 1:10).

            Eliseu se sentia confortável ao se hospedar no quarto que a Sunamita havia pedido ao marido para construir especialmente para ele. Por causa da generosidade e da hospitalidade desta mulher de Deus é que tornou-se um hábito para Eliseu parar na casa dela. Hebreus 13:2 nos exorta a sermos hospitaleiras. Veja o que esta carta nos diz: "Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos."

            Quando estamos no centro da vontade de Deus, obedecendo à Sua voz, certamente, bênçãos virão sobre a nossa vida. Isto foi o que aconteceu com a mulher Sunamita. A Bíblia nos diz que o profeta Eliseu recolheu-se ao seu quarto e se deitou. Conversando com o seu servo Geazi, ele pediu que chamasse a mulher Sunamita. Ela veio e, ao chegar junto ao profeta, ela ouviu dele o seguinte: "... A este tempo determinado, segundo o tempo da vida, abraçarás um filho" (2Re 4:16a). A mulher Sunamita, com certeza, gostaria de ter um filho mas ela estava com medo de que toda aquela promessa fosse apenas um sonho e não uma realidade. Mas a concretização da promessa aconteceu exatamente no tempo determinado, como disse a Palavra de Deus em 2Re 4:17.

           Vejam que presente maravilhoso - um filho! Somente nós que já somos mães sabemos que um filho é a maior dádiva que recebemos do Senhor, depois da salvação. É um presente que teremos conosco até o momento que bem aprouver ao Senhor, pois um filho, na verdade, não é propriedade nossa mas um ser que Deus colocou em nossas mãos para educá-lo, para falar das maravilhas do Senhor, do Seu plano de salvação e para amá-lo, amá-lo e amá-lo. Às vezes, Deus decide levar nosso filho para junto dEle e nós ficamos tristes, chorosas e com muita saudade, o Senhor decidiu levar o filhinho dela. Posso imaginar o seu desespero e a sua decisão de ir até Eliseu contar o ocorrido. Em 2Re 4:28-36, podemos ver tudo o que aconteceu:

"E disse ela: Pedi eu a meu senhor algum filho? Não disse eu: Não me enganes?"

            E ele disse a Geazi: Cinge os teus lombos, toma o meu bordão na tua mão, e vai; se encontrares alguém não o saúdes, e se alguém te saudar, não lhe respondas; e põe o meu bordão sobre o rosto do menino. Porém disse a mãe do menino: Vive o Senhor, e vive a tua alma, que não te hei de deixar. Então ele se levantou, e a seguiu. E Geazi passou adiante deles, e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não havia nele voz, nem sentido; e voltou a encontrar-se com ele, e lhe trouxe aviso, dizendo: O menino não despertou. E, chegando Eliseu àquela casa, eis que o menino jazia morto sobre a sua cama. Então entrou ele, e fechou a porta sobre eles ambos, e orou ao Senhor. E subiu à cama e deitou-se sobre o menino, e, pondo a sua boca sobre a boca dele, e os seus olhos sobre os olhos dele, e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. Depois desceu, e andou naquela casa de uma parte para a outra, e tornou a subir, e se estendeu sobre ele, então o menino espirrou sete vezes, e abriu os olhos. Então chamou a Geazi, e disse: Chama esta sunamita. E chamou-a, e veio a ele. E disse ele: Toma o teu filho."

"Obrigada, Senhor, pelo presente maravilhoso que Tu nos deste, enviando o Teu Filho unigênito, para morrer em nosso lugar e nos dar a vida eterna.
          Baseado em Números 23:19 que diz que "Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?", e conhecendo os tanto atributos de Deus, vemos que se Ele disse que ela teria um filho, com certeza, este filho viveria.

Google+ Followers

Postagens populares