sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sara: Mulher de Abraão - Pai de Multidões










Sara

(Seu nome significa “líder” ou “princesa”)

Seu caráter:
Bela o bastante para ser cobiçada por reis no mundo antigo, ela sabia também ser obstinada e ciumenta. Sara foi, todavia, uma esposa leal e correta, que não cedeu ao seu medo.

Seu sofrimento:
Não ter tido filhos durante a maior parte de sua vida.

Sua alegria:
Ter dado à luz Isaque, o filho da promessa, aos 90 anos.

Textos-chave:
Gênesis1-20 / 16:1-8 / 17:1-22 / 18:1-15 / 21:1-13 e Gálatas2-31

SUA HISTÓRIA

          Sara tinha 65 anos, a idade que muitas de nós se aposentam, quando partiu em viagem para um território espiritual desconhecido. Ao deixar para trás sua terra natal, ela e o marido, Abraão, partiram para centenas de quilômetros, em direção ao sul, até Canaã, uma terra fértil de promessas feitas por Deus, mas sem nada que amassem e que lhes fosse familiar. Deus prometera aquela terra a Abraão e a seus descendentes. Dele não seria gerada apenas uma família, um clã ou uma tribo, mas uma nação inteira, um povo que pertenceria a Deus como nenhum outro antes.
 
            A promessa espalhou-se como os círculos que se formam ao ser atirada uma pedra na água. Se Abraão seria o pai de uma nova nação, então, Sara seria, certamente, a mãe. Ela, porém, ansiava por dar à luz não a uma nação, mas a uma criancinha que pudesse beijar e embalar em seus braços. No início, Abraão e Sara acharam difícil sustentar a si mesmos, muito menos a uma família, em sua nova terra. Em breve, uma fome na região tornou a vida tão difícil que tiveram de mudar-se para o Egito, onde Abraão, com medo do faraó, sugeriu uma manobra enganosa para salvar sua vida. “Dize, pois, que és minha irmã, para que me considerem por amor de ti e, por tua causa, me conservem a vida”. (Gn 12:11-13).
 
           Sara atendeu ao pedido de Abraão e faraó em breve a acrescentou a seu harém de mulheres bonitas. Pelo privilégio, pagou a Abraão, na moeda de época, certa quantidade de ovelhas, bois, jumentos, camelos e servos. Mas, embora os dois homens parecessem satisfeitos com o acordo, Deus não se agradou disso e começou a atacar a faraó e toda a sua casa com doenças. O rei egípcio chamou Abraão, pedindo que se explicasse. Quando soube a verdade, permitiu que Sara e Abraão partissem, levando com eles todas as riquezas que haviam adquirido no Egito.
 
          O casal mudou-se, então, outra vez. Vários anos se passaram desde que Abraão e Sara ouviram a notável promessa de Deus, mas ainda não tinham um filho. Assim, Sara decidiu resolver o assunto por conta própria. Seguindo uma prática comum no mundo antigo, deu permissão a Abraão para deitar-se com sua serva egípcia, Agar. A escrava de Sara se tornaria uma mãe substituta para o filho prometido. Ismael nasceu não muito tempo depois, mas a criança só provocou discórdia entre as duas mulheres.
 
Certo dia, o Senhor apareceu a Abraão, enquanto ele estava sentado à entrada da sua tenda.
- Sara, tua mulher, onde está?
- Está aí na tenda.
Disse então o Senhor:
- Certamente voltarei a ti, daqui a um ano; e Sara, tua mulher, dará à luz um filho.
Sara, que estivera escutando de dentro da tenda, riu e disse:
- Depois de velha, e velho também o meu senhor, terei ainda este prazer?
Disse, porém, o Senhor a Abraão:
- Por que se riu Sara, dizendo: Será verdade que darei à luz, sendo velha? Acaso para o Senhor há cousa demasiadamente difícil? Daqui a um ano, neste mesmo tempo, voltarei a ti, e Sara terá um filho.
Por ficar com medo, Sara mentiu e respondeu:
- Não me ri.
Deus, porém, disse:
- Não é bem assim, é certo que riste.
 
          Um ano depois, Sara deu à luz Isaque, cujo nome significa “riso”. É claro que a mãe de 90 anos compreendeu a brincadeira e exclamou: “Deus me deu motivo de riso; e todo aquele que ouvir isso vai rir-se juntamente comigo” (Gn 21:6). O bom humor de Sara, porém, durou pouco. Farpas novamente começaram a ser lançadas entre as duas mães e Sara forçou Agar e Ismael a saírem da casa de Abraão, deixando-os peregrinar no deserto. Embora Deus cuidasse dos dois exilados, sua promessa de uma nova nação e de um libertador para o seu povo seria cumprida através de Isaque.
 
           Sara morreu com 127 anos e foi sepultada em Hebrom. Entre o nascimento de Isaque e a morte de Sara houve um intervalo de 37 anos, tempo suficiente para que refletisse na aventura de sua vida com Deus. Ficou envergonhada do tratamento que dispensou a infortunada Agar? Lembrou-se de ter rido quando Deus disse a Abraão que teria um filho aos 90 anos? Tinha idéia de que um dia seria reverenciada como mãe de Israel, símbolo da promessa, assim como Agar se tornaria símbolo da escravidão sob a lei? As Escrituras não dizem nada sobre isso, mas é animador saber que Deus realiza seus propósitos apesar das nossas fragilidades, de nossa pequena fé, de nossa auto-suficiência obstinada.
 
          As tentativas práticas de Sara para ajudar Deus a cumprir sua promessa causaram realmente muita angústia. (Mesmo em nossos dias, o conflito entre Israel e seus vizinhos árabes é devido àquela antiga briga entre as duas mulheres e os filhos por elas gerados.) Entretanto, apesar do ciúme, ansiedade e ceticismo sobre a capacidade de Deus para cumprir suas promessas, não se pode negar que Sara era capaz de aceitar riscos de primeira ordem, pois de despediu de tudo o que lhe era familiar, viajando para uma terra completamente desconhecida. Uma fina dama de carne e osso, que viveu uma aventura mais emocionante do que qualquer heroína de conto de fadas, a qual começou com uma promessa e terminou com riso.

SUA VIDA E SUA ÉPOCA
 
          Nomes. Nos tempos bíblicos, os nomes tinham um significado que, no geral, já não possuem mais hoje. Os nomes que os pais davam aos filhos permitiam um vislumbre da experiência pessoal deles, algumas das quais refletiam reações emocionais a uma situação. Quando Sara tinha 90 anos, Deus lhe disse que ela e Abraão iriam ter, finalmente, o filho que desejavam havia tanto tempo. Sara mal podia acreditar! “Riu-se, pois Sara nos eu íntimo, dizendo consigo mesma: Depois de velha, e velho também meu senhor, terei ainda prazer?” (Gn 18:12). Quando o filho nasceu, Sara o chamou de Isaque, que significa “riso” e disse “Deus me deu motivo de riso, e todo aquele que ouvir isso vai rir-se juntamente comigo” (Gn 21:6).
 
          Uma das cenas mais tristes da Bíblia talvez seja aquela em que Raquel, sofrendo muito e sabendo que estava à morte, chamou seu filho de Benoni “filho do meu sofrimento”. Mas Jacó, pai da criança, amando ao pequenino, mesmo em sua tristeza, chamou-o de Benjamim, “filho da minha mão direita” (Gn 35:16-20). Quando o filho de Ana nasceu, ela lhe deu o nome de Samuel, que se assemelha a expressão, em hebraico, para “ouvido de Deus”, porque Deus ouvira seu clamou por um filho. Muitos dos profetas do Antigo Testamento tinham nomes que falavam de sua missão: o nome de Isaías significa “O Senhor salva”, o de Obadias, “servo do Senhor”, o de Naum, “consolo” e o de Malaquias, “meu mensageiro”. Em toda as Escrituras, Deus dá ao seu povo nomes que retratam o significado e o valor que tem para Ele. Somos sua “propriedade peculiar” (Ex 19:4; Ml 3:17), o “povo da herança” (Dt 4:20) e “filhos do Deus vivo” (Os 1:10). Somos “seus amigos” (Jo 15:15). Seja lá qual for o seu nome, Deus a conhece. Com amor, Ele a chama pelo nome e você lhe pertence (Is 43:1).

SEU LEGADO NAS ESCRITURAS

Leia Gênesis 17:15-16
1. Tanto Sarai como Sara significam “princesa”, revelando a posição de Sara como mãe de uma nação. Você sabe qual o significado do seu nome? Qual a importância desse significado para você?
2. Se fosse pedir a Deus que mudasse seu nome, qual desejaria que fosse ou qual significado desejaria que tivesse?

Leia Gênesis 18:10-15 / 21:1-7
3. Coloque-se na posição de Sara. Você acha que riria também? Por quê?
4. Deus cumpriu sua promessa a Abraão e Sara no tempo determinado por Ele. Descreva como acha que se sentiram sobre isso.
5. Você já esperou Deus cumprir uma promessa? Pelo que você está esperando neste momento?
6. Enquanto reflete sobre a história de Sara e Abraão, como pode melhorar sua atitude durante a espera para que Deus cumpra as promessas que lhe fez?

Leia Gênesis 16:6 / 18:2,15: 21:10
7. Escolha cinco adjetivos que descrevam Sara. Em que aspectos você se parece com ela? Em que se diferencia dela?
8. Deus usou Sara, apesar dos defeitos e da impaciência dela. Como Deus pode usar você apesar de suas imperfeições?

Leia Gênesis 21:1-7
9. O que Sara disse quando deu à luz Isaque? Por que você acha que ela disse isso?
10. Descreva uma ocasião em sua vida em que Deus a fez “rir”.


SUA PROMESSA
 
          Como foi difícil para Sara (e também para nós hoje!) lembrar as promessas de Deus e esperar por seu cumprimento. As promessas de Deus são reveladas e cumpridas no tempo dEle, o que acontece, frequentemente, de acordo com um calendário bem diferente do nosso. Esperar com paciência pela operação de Deus pode ser uma das experiências mais difíceis da vida cristã. Somos muito bons no “faça-você-mesmo” e, em geral, acabamos sendo um obstáculo para Deus, quando queremos agir por nossa própria conta.
 
           Você está esperando que Deus lhe faça algo? Já pediu a Ele a salvação do seu marido? De um membro de sua família? Está pedindo que um filho rebelde volte para casa? Quaisquer que sejam as circunstâncias, o tempo de Deus é o melhor. Quando estiver tentada a interferir e a fazer as coisas acontecerem a seu modo, pense em Sara. Sua tentativa de cumprir a promessa de Deus tendo um filho por meio de sua serva, Agar, teve resultados desastrosos. Lembre-se de que Deus tem Sua própria agenda. Descanse na segurança de que Ele a ama e cumprirá a promessa que lhe fez.

Promessas nas Escrituras

“Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor” (Sl 27:14)

“Aguardo o Senhor, a minha alma o aguarda; eu espero na sua palavra” (Sl 130:5)

“Por isso, o Senhor espera, para ter misericórdia de vós, e se detém, para se compadecer de vós, porque o Senhor é Deus de justiça; bem-aventurados todos os que nele esperam” (Is 30:18)

“Eu, porém, olharei para o Senhor e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá” (Mq 7:7)

SEU LEGADO DE ORAÇÃO

“Disse também Deus a Abraão: A Sarai, tua mulher, já não lhe chamarás Sarai, porém, Sara. Abençoá-la-ei e dela te darei um filho; sim, eu a abençoarei, e ela se tornará nações; reis de povos procederão dela. (Gn 17:15,16)

Medite
Gênesis 17:1-22

Louve a Deus
Porque Ele cumpre as suas promessas.

Agradeça
Por Deus ter um plano gracioso para você, que se desenrolará na hora oportuna, segundo a Sua vontade.

Confesse
Sua ansiedade e auto-suficiência.
Peça a Deus
Que a ajude a ouvir com atenção e com disposição de coração para fazer a Sua vontade.

Eleve o coração
Deus fornece pistas de Seu propósito para você plantando sonhos em seu coração. O sonho de Sara era ter um filho. Procure um lugar tranqüilo e passe algum tempo concentrando-se nos seus sonhos. Pergunte a si mesma quais são os sonhos que você tem estado ocupada demais, com medo demais ou decepcionada demais para perseguir. Escreva-os e ore sobre cada um.

Oração
“Pai, obrigada por me amar, apesar de minha alma ainda conter sombras que bloqueiam o teu Espírito. À medida que os anos passam, peço que eu venha confiar mais completamente em ti com relação aos sonhos que plantou em minha alma e às promessas que me fez. Como Sara, que eu possa ser cercada de risos pela maneira maravilhosa como compres teu propósito, apesar das minhas fraquezas. Amém.”
 

Google+ Followers

Postagens populares