quinta-feira, 5 de setembro de 2013

A Intuição pode ser Corrigida de acordo com as Escrituras Sagradas


 


Intuição

           Este é assunto que de uns anos para cá tem se tornado matéria de capa de renomadas revistas e tomado o raciocínio de muitos na tentativa de satisfatoriamente explicar o que de fato é a Intuição.

          A respeito de “intuição”, poderíamos dizer também que ela é o discernimento rápido, a percepção clara e imediata.

1ª Samuel 21:10 – 15 com atenção versos 12 e 13:

“E Davi levantou-se, e fugiu aquele dia de diante de Saul, e foi a Aquis, rei de Gate. Porém os criados de Aquis lhe disseram: Não é este Davi, o rei da terra? Não se cantava deste nas danças, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém Davi os seus dez milhares? E Davi considerou estas palavras no seu ânimo, e temeu muito diante de Aquis, rei de Gate. Por isso se contrafez diante dos olhos deles, e fez-se como doido entre as suas mãos, e esgravatava nas portas de entrada, e deixava correr a saliva pela barba. Então disse Aquis aos seus criados: Eis que bem vedes que este homem está louco; por que mo trouxestes a mim? Faltam-me a mim doidos, para que trouxésseis a este para que fizesse doidices diante de mim? Há de entrar este na minha casa?”

          Neste episódio o que houve, foi o reflexo rápido do qual chamei inicialmente a intuição. Davi agiu, intuitivamente para salvar sua vida.
 
          A palavra intuição é compreendida de diferentes maneiras por diferentes pessoas. Não é fácil conceituar a intuição. Se perscrutarmos os dicionários, encontraremos algo do tipo: a intuição é o ato de ver, perceber, discernir, pressentir.

          Para uns ela é o discernimento rápido, a percepção clara e imediata. Para outros é a capacidade de pressentir acontecimentos ou caminhos que levam a soluções de difíceis problemas.

Intuição:

1. Julgamento feito com base em informações incompletas; conhecimento ou sentimento resultante de processos mentais ou sensoriais inconscientes.

2. Ato de ver, perceber, discernir; percepção clara ou imediata; discernimento.

3. Ato ou capacidade de pressentir, pressentimento.

          No latim, intuitione significa “imagem refletida por um espelho”. À luz das descobertas da ciência, a expressão faz sentido. “Ela funciona como resultado de um processo mental realizado abaixo do nível da consciência”, diz o psicólogo Eugene Sadler-Smith, professor da Universidade de Surrey, na Inglaterra. É como se fosse um reflexo que se manifesta como percepção repentina.

          Para quem se habituou a encarar a intuição – também chamada de sexto sentido ou feeling (sensação em inglês) – como algo inexplicável ou místico, pode parecer estranho que ela tenha se transformado em objeto de interesse de pesquisadores. O sexto sentido conquistou, então, respaldo acadêmico? Sim. A ciência está começando a esclarecer os complexos processos mentais e corporais que estão por trás da intuição.

          Estudos apontam que a intuição é um processo que envolve a mente e até mesmo o coração (Istoé Outubro de 2007).

          BATIMENTO O coração “sente” primeiro do que a razão: desacelera 6 segundos antes de uma decisão.

          MENTE EM DUAS VIAS Psicólogos afirmam que cérebro atua em 2 trilhas: uma é a da intuição. A outra, lógica.

"Segundo Carl Gustav Jung, uma das maiores referências nesse campo, a intuição é uma das quatro funções psicológicas do homem (as demais são sensação, sentimento e pensamento). “Intuir é algo natural da pessoa e pode ocorrer a partir de dados subliminares”, afirma a psicóloga Marion Gallbach, do núcleo de estudos junguianos da PUC de São Paulo. Quem encontra uma amiga e tem a impressão de que ela está triste, mesmo sem notar sinais aparentes, pode ter captado sutilezas percebidas somente pela intuição. Sonhos podem ser também manifestações do feeling. Mulheres sonham com freqüência que estão grávidas porque os corpos estão sensíveis às mudanças hormonais."

          Sem nenhuma dúvida, a intuição tem um papel importante no processo de decisão e no avanço do conhecimento. Como explicar, por exemplo, que o filosofo grego Demócrito, que viveu de 460 AC a 370 AC, tenha concebido a teoria atômica, segundo a qual tudo o que existe é composto por elementos indivisíveis chamados átomos, mais de vinte séculos antes da invenção dos recursos tecnológicos que permitiram estudar a estrutura da matéria.

“Descobertas recentes de como a mente trabalha derrubaram a velha concepção de que análise e intuição são duas funções separadas que ocorrem em duas diferentes partes do cérebro. Na nova visão, análise e intuição são tão entrelaçadas que é impossível separá-las. Elas estão juntas em todas as situações. Não há boa análise sem intuição, e nem boa intuição sem análise. Alguns cientistas denominam o novo modelo do cérebro de “memória inteligente”, onde a análise coloca elementos em seu cérebro e a intuição os retira e os combina para criar algo novo ou tomar uma decisão.” William Duggan.

          Memória inteligente é o processo de raciocínio geralmente inconsciente e instantâneo que conecta fragmentos de memória e de conhecimento a fim de gerar novas idéias.

          É a memória que nos ajuda a tomar as decisões do dia-a-dia, que nos traz a lembrança de uma boa piada e que nos dá aquela idéia brilhante para a solução de um problema. A memória inteligente atua fazendo as conexões entre as experiências individuais e as informações armazenadas no nosso cérebro.

          À medida que você envelhece e agrega mais experiências e conhecimento, sua memória inteligente se torna mais forte e mais rápida; sua intuição se torna mais refinada, mais versátil e mais confiável.

          O melhor conselho sobre intuição: Confie, mas verifique. Você não deve enganar a si próprio e adote sempre a premissa de que você é a pessoa mais fácil de ser enganada.

          Outro conselho: eduque sua intuição. Sim, ela pode ser educada. Quanto mais conhecimento e experiência você acumular, mais rica a sua bagagem cultural e mais poderosa e confiável a sua intuição. Ao contrário do que alguns pensam, a intuição não é o substituto para a ignorância e desconhecimento dos fatos. Nestes casos, a designação mais certa é palpite irresponsável.

O crente crê e age, porque tem consigo a Bíblia e uma experiência interna certa.

          E Deus é o autor de ambos. A Bíblia é a revelação objetiva ou externa de Deus e a experiência é Sua revelação interna. A Bíblia, sem a experiência interna (experiência da salvação) jamais fará de alguém um crente. Ao mesmo tempo, uma experiência religiosa que não concorda com a Bíblia é falsa e perigosa. Saulo de Tarso era religioso, muito antes de ser crente, e pensava ser seu dever fazer muitas coisas contrárias a Cristo. As pessoas podem ser sujeitas ao espírito do maligno tanto quanto ao Espírito Santo.

Repetindo a Revista Istoé de Outubro de 2007: “Estudos apontam que a intuição é um processo que envolve a mente e até mesmo o coração.”

Mais então o que é O Coração?

Nos informa o salmista:

"Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. " Salmos 51:10

Por que se considera o coração como o centro da vida física?

A Bíblia revela que o coração é o centro da vida física.

          A Bíblia coloca o coração como o centro de todo pensamento e o cérebro meramente um instrumento que o coração usa para expressar-se “De dentro do coração do homem, é que procedem pensamentos maus, adultério, fornicação...”Marcos 7:20-21. De acordo com a Bíblia do coração procedem todas as coisas, (vida física, memória, condenação, salvação, etc.) “Sobre tudo o que deves guardar, guarde o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” Provérbios 4:23. O centro onde todos os pensamentos trabalham e o qual molda o mecanismo humano. Deus nunca julga a humanidade pelo seu cérebro mas Ele julga pelo seu coração. Existem inúmeras passagens na Bíblia que mostram que no coração esta o centro de processamento.

A percepção do coração.

          Percepção significa o poder de discernir o que nós ouvimos, vemos e lemos, o poder de discernir o que está acontecendo ao nosso redor e o que isso representa para a nossa vida. E esse poder também está no coração. É o poder de perceber e entender o trabalho de Deus, em cada momento de nossas vidas, e que apesar das circunstancias, todas as coisas trabalham para o bem daqueles que estão firmados em Jesus Cristo.

A inclinação do coração.

          Deus através da Bíblia nos instrui para que tenhamos sempre a Sua Palavra, os Seus mandamentos gravados em nossos corações, do que está cheio o coração é o que demonstraremos. A inclinação do coração será direcionada de acordo com o que colocamos dentro dele, se coisas de Deus ou coisas do mundo.
 

Google+ Followers

Postagens populares