segunda-feira, 2 de setembro de 2013

As Lapidações produzem dor, mas o resultado é um Diamante Inigualável!




PLANOS DE BEM E NÃO DE MAL 

 
          Deus sempre deseja o nosso bem. Mesmo quando permite situações contrárias para tratar conosco, Ele quer o que é melhor para nós.
 
          Tudo concorre juntamente para o nosso bem se de fato o amamos e somos chamados segundo seu propósito. Perder isto de vista e questionar o amor e cuidado do Senhor para conosco é dar espaço para que Satanás consiga tirar proveito. 
 
          O Senhor afirma claramente que seus planos para conosco (e consequentemente o seu agir) são de bem e não de mal.
 
          Nos dias em que a nação israelita foi levada para o cativeiro babilônico por causa da sua desobediência, muitos começaram a pensar que Deus só queria lhes fazer o mal; mas na verdade, o Senhor queria tratá-los e corrigí-los para o próprio bem deles. Depois da correção e tratamento, viria a intervenção divina na situação pela qual eles passavam: o cativeiro. É quando Deus fala que o cativeiro tinha um tempo estabelecido e que neste tempo seu povo aprenderia a buscá-Lo e invocá-Lo; e então, somente então, Ele os traria de volta à sua terra.
 
 Veja a profecia de Jeremias que nos revela isto:
"Assim diz o Senhor: Logo que se cumprirem para Babilônia setenta anos atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar.
Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que desejais.
Então me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei.
Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração.
Serei achado de vós, diz o Senhor, e farei mudar a vossa sorte; congregar-vos-ei de todas as nações, e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o Senhor, e tornarei a trazer-vos ao lugar donde vos mandei para o exílio."
Jeremias 29:11-14.
 
          Para o povo israelita, aquele era um momento difícil. Parecia que Deus já não se importava com eles e que tudo o que queria lhes fazer era o mal e não o bem. Mas Deus lhes fala de maneira enfática que intentava o bem para a nação; que mesmo tendo-os corrigido e tratado, queria o seu bem. 
 
          Às vezes parece-nos que o Senhor já não está nos abençoando tanto; outras vezes parece que se esqueceu de nós ou até mesmo que esteja contra nós; mas na verdade apenas parece, pois Deus SEMPRE quer o nosso bem. Ele jamais nos intentará o mal, pois nos ama profundamente. É lógico que em seu amor Ele irá nos corrigir e tratar, mas nunca intentar o mal. 
 
          Mesmo quando julga alguém, o Senhor quer que a pessoa venha a se arrepender; e se ela não se arrepender e perecer sob o juízo, Deus ainda vai querer usar esta situação como um exemplo para que outros não procedam de igual modo. Isto não pode ser jamais questionado: Deus quer o nosso bem sempre; em toda e qualquer situação devemos lembrar que Ele nos ama e nos deseja o melhor. Quando não entendemos, devemos confiar em seu amor e soberania, mas nunca questionar sua benignidade. 
 
          Em todo o Velho Testamento o povo era instruído a louvar ao Senhor dizendo: "O Senhor é bom e a sua benignidade dura para sempre". Penso que Deus queria incutir na mente e coração de seu povo isto; Ele é a própria expressão da bondade e benignidade e sempre agirá assim para conosco. Não conseguiremos ver a benignidade de Deus se avaliarmos seu agir pelo que nossos olhos vêem, mas se olharmos para o que sua Palavra diz a seu respeito nunca questionaremos este fato. O Senhor quer nos dar um futuro e uma esperança; quer o melhor para as nossas vidas. 
 
          Para muitos cristãos as provações, o tratamento, e até mesmo a correção de Deus não são uma demonstração de cuidado mas sim de abandono. Estão terrivelmente enganados! Em toda e qualquer situação Deus está querendo o nosso bem e usará todas as circunstâncias para que sejamos beneficiados: 
 
"Sabemos que todas as cousas cooperam PARA O BEM daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito."
Romanos 8:28. 
 
          Nada foge ao controle de Deus. Desde que andemos em fidelidade, sem dar lugar ao diabo através do pecado, tudo cooperará para o nosso bem, embora nem sempre pareça. 
 
 
AMARRAS QUEIMADAS 
 
          Fico pensando naqueles três amigos de Daniel, Hananias, Misael e Azarias, a quem o rei da Babilônia chamou de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. Eles eram fiéis ao Senhor e se recusaram prostrar-se perante uma estátua, pois haviam sido ensinados na lei de Moisés a adorar somente a Deus e nunca aos ídolos. E por causa da sua fidelidade (e não pela falta dela) eles enfrentaram uma das mais duras provas de sua vida, relatada no terceiro capítulo do livro de Daniel. 
 
          Resolveram ficar firmes em servir a Deus ainda que isto custasse a própria vida deles, e passaram por uma experiência única: foram lançados na fornalha de fogo, mas saíram vivos, sem sequer ter um fio de cabelo chamuscado ou mesmo cheiro de fumaça em suas vestes, pois pela fé apagaram a força do fogo. O fogo não pode fazer nada contra eles, nem queimar nada que lhes dizia respeito; EXCETO UMA COISA: as cordas que os amarravam!
 
Veja o que diz a Bíblia:
"Então o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa e disse aos seus conselheiros: Não lançamos nós três homens ATADOS dentro do fogo? Responderam ao rei: É verdade, ó rei.
Tornou ele e disse: Eu, porém, vejo quatro homens SOLTOS, que andam passeando dentro do fogo, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses."
Daniel 3:24,25. 
 
          Até a hora em que foram lançados no fogo, os três servos de Deus estavam amarrados, mas logo depois estavam soltos, pois a única coisa que o fogo teve poder de queimar foram as suas amarras. De modo semelhante, quando Deus permite que as provações venham como um fogo sobre as nossas vidas (I Pe.1:7), o máximo que Ele quer que se queimem, são as amarras de áreas de nossa vida que necessitam de seu tratamento. 
 
          Não é porque as adversidades nos sobrevenham que Deus não queira o nosso bem, pois Ele pode até mesmo usá-las para nos beneficiar. Espiritualmente falando, as amarras queimadas na vida de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, mostram-nos o poder e soberania de Deus sobre as provas para nos fazer crescer em meio à adversidade. 
 
          José passou momentos difíceis no Egito, depois de ter sido renegado e vendido por seus irmãos, mas o que o fortaleceu diante de tudo o que passou, foi a certeza de que Deus queria o seu bem, e de que lhe daria um futuro e uma esperança. Depois de toda provação já ter passado e Deus o ter exaltado, ele declarou aos seus irmãos: "Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida" (Gn.50:20). 
 
          Aleluia! Mesmo quando outras pessoas intentam o mal contra nós (e até mesmo o diabo), Deus está ao nosso lado para transformá-lo em bem, pois é isto mesmo que Ele intenta para cada um de nós, o nosso bem.

Google+ Followers

Postagens populares