segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Se persistirmos em ficar no Nosso Ninho!



OS AGUILHÕES NA MINHA VIDA 
 
           
          Se resistirmos, o aguilhão também será insistente, mas se cedermos, o Senhor nos tratará com bondade e graça. 
 
          Se você tem sido aguilhoado por Deus, ceda. Não fique recalcitrando, pois em um certo momento o tratamento cessa, e o que vem depois é juízo.
 
          Devemos aprender que é possível viver sem ter que provar os aguilhões de Deus, basta andar em plena submissão. Mas como nem todos (para não dizer ninguém) andam nesta dimensão de rendição, torna-se inevitável o uso deles. 
 
          Muitas vezes nossa obediência é meramente externa, de atitudes apenas; mas é preciso rendermo-nos de coração ao Senhor. Há momentos em que temos que ser sábios e sensíveis, e discernir espiritualmente o agir de Deus, ainda que oculto aos nossos olhos. Não adianta ficar culpando o diabo e companhia ltda., temos que reconhecer que quanto mais endurecermos, mais Deus endurecerá também; é necessário contrição e quebrantamento, e se não nos rendermos espontaneamente, Deus irá nos espetar! 
 
          Não estou tentando pintar uma caricatura de Deus. Muita gente tem feito isto e O distorcem completamente; não servimos a um Deus tirano que vive nos perseguindo para castigar e tirar nosso couro! Esta é uma imagem distorcida, uma caricatura que fizeram d'Ele e nada reflete da verdade. O que quero é apenas mostrar que Deus é infinitamente amoroso, mas disciplina com firmeza. Não estou dizendo que Ele irá nos aguilhoar a troco de nada, por diversão; refiro-me a ocasiões específicas de rebelião dos seus filhos. 
 
           E é lógico, ao falar de rebelião não me refiro a um crente desviado que abandonou tudo e se jogou no mundão, mas sim a atitudes como as de Jonas, onde não nos dobramos diante da vontade divina e ficamos lutando por aquilo que nós achamos certo. Contudo, Deus não está em posição de ser questionado nem tampouco desafiado, e toda rebeldia será tratada por Ele, que nos quer fazer voltar à submissão que sempre regeu nossas vidas. 
 
          Os aguilhões não fazem parte do cotidiano, são ocasionais. São extraordinários, e não ordinários. Mas existem e certamente serão usados quando necessário. Eles são parte do agir invisível de Deus, da sua forma soberana de fazer com que todas as coisas contribuam para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados segundo o seu propósito.
 
 
OS ABALOS DE DEUS 
 
          Você já ouviu falar dos abalos de Deus? É provável que não, pois não é um tipo de mensagem que esteja na moda em nossos dias, mas eles existem e estão acontecendo muito no meio evangélico. E creio que ainda aumentarão. Visto ser uma promessa para o tempo do fim, é lógico pensar que quanto mais nos aproximamos do fim, mais se intensificam os abalos. Eles compõem mais uma parcela interessante do agir invisível de Deus. São o modo como Deus faz com que nossas vidas sejam chacoalhadas para que as coisas abaláveis sejam removidas e as inabaláveis permaneçam. O autor da epístola aos hebreus foi divinamente inspirado para falar disto: 
 
"Tende cuidado, não recuseis ao que fala. Pois, se não escaparam aqueles que recusaram ouvir quem divinamente os advertia sobre a terra, muito menos nós, os que nos desviamos daquele que dos céus nos adverte, aquele, cuja voz abalou, então, a terra; agora, porém, ele promete, dizendo: Ainda uma vez por todas farei abalar não só a terra, mas também o céu.
Ora, esta palavra: Ainda uma vez por todas, significa a remoção dessas cousas abaladas, como tinham sido feitas, para que as cousas que não são abaladas permaneçam.
Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor; porque nosso Deus é um fogo consumidor"
Hebreus 12:25-29. 
 
          Vemos que a rebeldia daqueles que não dão ouvidos à voz divina será repreendida com abalos. Note que não estamos falando sobre Deus recompensar a fidelidade com abalos, mas sim daqueles que rejeitam a voz de Deus, ou seja, sua Palavra. Isto não se refere a incrédulos, mas a cristãos que não estão dando ouvidos à Palavra de Deus em determinadas áreas de sua vida! 
 
          O tratamento e correção de Deus nas nossas vidas vem naquelas áreas onde ainda não estamos correspondendo com o que Ele diz em sua Palavra. São áreas de nossa vida cristã e caráter onde necessitamos ser trabalhados, e é justamente por isto que os abalos vêm. O Senhor fala claramente sobre trazer seus abalos; na verdade, Ele promete que vai trazê-los, e é de se esperar que Ele cumpra sua promessa, pois é Fiel! O texto fala de abalos sísmicos, tremores de terra produzidos por terremotos. Nunca vi pessoalmente um terremoto (e jamais gostaria de ver um), mas o que vi pela televisão e por fotografias, foi suficiente para me assustar.  As pessoas ficam completamente indefesas, o governo e as autoridades nada podem fazer; tudo o que se pode fazer num terremoto, além de tentar preservar a vida, é esperar que ele passe e ver o que dá para reaproveitar depois. 
 
          Estes abalos mencionados na carta aos hebreus, são uma aplicação de outros dois textos bíblicos; o primeiro é quando Deus diz a Moisés que falaria com ele aos ouvidos de todo o povo, para que soubessem que o Senhor lhe falava e cressem em seu ministério; o segundo é uma profecia de Ageu que citaremos adiante. Tanto um como outro refletem os abalos que, espiritualmente, podem ser trazidos pelo Senhor em nossas vidas. 
 
Nesta ocasião em que Deus se revelou ao povo de Israel o que aconteceu foi o seguinte:
"Ao amanhecer do terceiro dia houve trovões e relâmpagos e uma espessa nuvem sobre o monte, e mui forte clangor de trombeta, de maneira que todo o povo que estava no arraial estremeceu.
E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.
Todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e TODO O MONTE TREMIA GRANDEMENTE."
Êxodo 19:16-18. 
 
          É exatamente deste ocorrido que o escritor de Hebreus vinha falando nos versículos anteriores, mostrando que há uma grande diferença entre as manifestações do Velho e as do Novo Testamento. Porém, no que diz respeito a Deus trazer abalos pela sua Palavra, nada mudou; esta é a mensagem do fim do capítulo doze de Hebreus. 
 
          Quando os abalos de Deus chegam a nossas vidas, são semelhantes a um terremoto, não há o que fazer. Nenhum pastor pode orar e vê-lo passar imediatamente; nem tampouco a própria pessoa; tudo o que se pode fazer é tentar se salvar (não deixando que o diabo nos desanime a ponto de nos fazer desistir) e esperar que o terremoto passe para ver o que sobrou e o que terá que ser reconstruído. 
 
          Alguém poderia argumentar que este texto de Hebreus não parece falar de algo acontecendo no âmbito individual, mas ele não só sugere esta aplicação pessoal (ao falar de outras pessoas que não deram ouvidos à voz de Deus), como também se refere a uma outra porção bíblica de aplicação pessoal, no livro do profeta Ageu.
 

Google+ Followers

Postagens populares